Fechamento

'É preocupante ver o fechamento do comércio por falta de estrutura na saúde', diz CDL

O comércio vem sofrendo desde o ano passado com as medidas restritivas.

Por Redação
Comentários (0)

04/03/2021 14h26 - Atualizado há 1 mês
Entidade está preocupada com os reflexos negativos dessa medida

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Palmas reafirmou ser totalmente contrária à decisão de fechamento do comércio por parte da Prefeitura da Capital, através do decreto nº 2.003 de 03 de março de 2021. Todos as atividades e serviços considerados não essenciais estão proibidos de funcionar até o dia 15 de março.

Contudo, a entidade afirma que a categoria comercial sempre seguiu os protocolos necessários e é preocupante ver esse segundo fechamento do comércio por não haver estrutura na saúde pública. 

"É claramente visível que o comércio local, as pequenas empresas, lojas e estabelecimentos do comércio, não são onde há elevados níveis de contaminação. Não há evidências disso, pois não são locais de aglomeração. Existe um controle e cuidado, que seriam facilmente identificados se houvesse a mínima fiscalização por parte do Poder Público", afirma. 

Este momento, segundo a CDL, a maior preocupação é com o desgaste que este novo fechamento irá causar para as empresas.

A Câmara de Dirigentes Lojistas também criticou a falta de clareza do decreto. "Esperamos que a Prefeitura se posicione e emita uma melhor orientação. No mais, a CDL reitera que está do lado do empresário e do trabalhador palmense. O comércio não tem condições de permanecer fechado. Necessitamos de melhorias na estrutura de saúde e de investimento na infraestrutura para atendimento da população", finalizou. 

EMPRESAS FECHADAS

Levantamento recente da Confederação Nacional do Comércio (CNC) aponta que mais de 75 mil lojas fecharam as portas no Brasil em 2020. A retração é a maior desde 2016, quando o comércio ainda sofria os efeitos da maior recessão da história recente do País. Além disso, no ano passado o varejo brasileiro ainda sofreu com a queda das vendas (-1,5%) e do nível de ocupação (-25,7 mil vagas formais).

A CNC disse também que a maioria dos estabelecimentos comerciais e de serviços têm cumprido os protocolos de prevenção à Covid-19. O setor vem investindo nas adequações sanitárias e não permite aglomerações. Por isso, fechar o comércio, como tem sido feito em cidades e estados brasileiros, ou mesmo reduzir o horário de funcionamento – gerando horários de pico – não são soluções para diminuir o crescente contágio.

ENTENDA

Em razão do avanço desenfreado de novos casos de covid-19 e para evitar o iminente colapso do sistema de saúde, a Prefeitura de Palmas decretou na noite dessa quarta-feira (03) a suspensão de todas atividades e serviços considerados não essenciais pelo período de 10 dias. 

Apesar do fechamento do comércio e de todos os espaços públicos de Palmas, o decreto não restringe diretamente a circulação de veículos e pessoas, o que ocorrerá, contudo, de forma indireta, sendo considerado um 'lockdown parcial'.

O novo decreto entra em vigor a partir do próximo sábado (06) e vai até o dia 16 de março.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.