Saúde

Hospital Municipal de Araguaína realiza pela 1ª vez cirurgias urológicas em crianças

O procedimento atendeu crianças de 11 meses a 9 anos de idade.

Por Redação
Comentários (0)

23/06/2021 15h52 - Atualizado há 1 mês
Equipe médica responsável pelos 10 primeiros procedimentos

Depois de nove meses em busca de tratamento para o filho, finalmente Flávia Rodrigues conseguiu. Benjamin Pedro Rodrigues foi uma das dez crianças beneficiadas com as primeiras cirurgias urológicas pediátricas realizadas pelo HMA (Hospital Municipal de Araguaína), no período de 12 a 14 de junho.

O procedimento atendeu crianças de 11 meses a 9 anos de idade com as seguintes patologias urológicas congênitas: hidronefrose por estenose da junção pieloureteral, hipospádia, pênis embutido e encurvamento peniano, dentre outros.

Isso foi possível graças à equipe cirúrgica especializada, ao empenho e fortalecimento da equipe multiprofissional do HMA, ao suporte de exames pré e pós-operatórios e à modernização e melhoria estrutural da unidade.

O prefeito Wagner Rodrigues explica que hoje Araguaína está com infraestrutura e investimento que possibilitam a ampliação dos serviços. "O meu papel será ampliar ainda mais a rede de saúde pública, fazendo com que a nossa cidade seja uma referência nacional”, disse.

O HMA é custeado pela Prefeitura de Araguaína e gerenciado pelo ISAC (Instituto Saúde e Cidadania). "A excelência nos serviços vai desde a estrutura até profissionais capacitados e especializados", afirmou a secretária municipal da Saúde, Ana Paula Abadia.

Assistência humanizada

Benjamin Pedro, de 11 meses, foi diagnosticado com hidronefrose ainda durante a gravidez, em uma ultrassonografia. O exame foi feito quando a mãe dele, Flávia Rodrigues, estava com 33 semanas de gestação.

Ela tinha a esperança de que o problema poderia regredir nos primeiros meses de vida, mas foi o contrário. O rim esquerdo foi aumentando de tamanho gradativamente e, por fim, havia o risco de precisar retirá-lo. Era um caso de estenose da junção pieloureteral e só uma cirurgia poderia resolver o problema.

A cirurgia foi muito boa. No outro dia ele já estava uma ‘pimentinha’. Agora está em casa e reagindo muito bem. A gente fica muito vulnerável nessa situação, como mãe, e ter sido tratada com carinho por todos do hospital fez a diferença. As médicas são maravilhosas e eu sou muito grata ao hospital. Estou muito feliz porque conseguimos essa vitória”, contou Flávia.

Trabalho conjunto
As médicas da unidade, Joyce Lisboa e Nyrla Yano, realizaram as cirurgias junto com o cirurgião pediátrico e urológico Rafael Miranda, de Florianópolis (SC).

Os procedimentos só foram possíveis porque tivemos dois cirurgiões especializados em Urologia Pediátrica, o doutor Rafael e a doutora Nyrla. Também porque o ISAC adquiriu os instrumentos cirúrgicos específicos e os materiais necessários para as cirurgias, como fios cirúrgicos, curativos diferenciados e cateteres especiais”, afirmou a cirurgiã pediátrica do HMA, Joyce Lisboa.

Esperança de volta

O novo serviço impacta diretamente na vida de tantos pacientes que esperavam muito tempo para fazer o procedimento. A maioria deles era direcionada para outras cidades do Tocantins e até para outros estados.

Algumas crianças que fizeram a cirurgia no HMA aguardavam consulta em Palmas ou estavam na lista de espera da cirurgia em outros locais, que também sofrem com a alta demanda e poucos profissionais especializados na área.

A intenção é que o serviço se fortaleça na execução de procedimentos de média complexidade, cuja demanda é maior, beneficiando o máximo de crianças”, disse Joyce.

Segundo a médica Nyrla Yano, essas cirurgias são procedimentos extremamente delicados que requerem técnicas singulares.

"Esses são procedimentos mais delicados e complexos dentro da cirurgia pediátrica. Não são todos os cirurgiões pediátricos que são capacitados para fazer essa cirurgia e que também têm essa experiência. Ainda bem que tivemos a oportunidade de contar com a presença do doutor Rafael, que é especialista em Urologia Pediátrica, para podermos beneficiar as crianças de Araguaína, que antes esperavam muito tempo para serem encaminhadas para outros serviços. Isso foi muito bom! Teve a participação de toda equipe, não só a equipe cirúrgica, mas também de pediatras, anestesista, enfermeiros e técnicos de Enfermagem que tornaram isso possível para a população", comenta Nyrla.

Os procedimentos

São diversas as patologias que atingem o rim, ureter, bexiga, pênis, uretra e escroto, entre outras estruturas do sistema urológico das crianças. Essas doenças podem ser congênitas, quando a criança já nasce com ela, ou adquiridas.

As doenças genitais operadas são aquelas em que as crianças podem apresentar dificuldade para urinar, infecção urinária de repetição, além de prejuízos na autoestima, refletindo seriamente no estado psicoemocional e convivência social dessa criança.

Essas doenças prejudicam o pleno funcionamento do rim e podem levar até a exclusão do órgão, caso não seja operado no tempo correto.

“A Urologia Pediátrica representa cerca de 30 a 40% das enfermidades cirúrgicas na infância. É uma área de atuação com alta demanda de pacientes dentro da Cirurgia Pediátrica”, afirmou a médica Joyce.

Cirurgia sendo realizada

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.