Decisão judicial

Município de Palmas é condenado por graves problemas de gestão nas unidades de saúde

Vistoria constatou falta de materiais, medicamentos e de servidores nas unidades.

Por Redação 937
Comentários (0)

08/09/2020 09h07 - Atualizado há 1 mês
Prefeitura de Palmas deve apresentar um raio-x da situação na saúde

O Município de Palmas foi condenado a cumprir uma série de determinações relacionadas à saúde, como a regularização do fornecimento de medicamentos e de insumos; apresentação de um estudo com o dimensionamento adequado de pessoal; e, também, de um relatório constando a dívida total do Município e o detalhamento dos valores.

A decisão é da Vara de Execuções Fiscais e Saúde de Palmas, proferida numa Ação Civil Pública proposta pela Defensoria do Estado do Tocantins (DPE-TO) em atuação conjunta com o Ministério Público (MPTO).

Os dois órgãos realizaram vistorias no Centro de Logística da Secretaria Municipal de Saúde e em outras Unidades de Saúde e constataram irregularidades como falta de medicamentos básicos e medicamentos específicos da saúde mental, número insuficiente de funcionários e diversas outras queixas que acarretam claro prejuízo aos beneficiários do SUS [Serviço Único de Saúde].

Conforme o MPTO e DPE, os fatos apresentados denotam irregularidades na gestão da saúde pública no âmbito da gestão municipal, cujos cidadãos, em geral hipossuficientes, ficam desamparados diante da ausência de profissionais, falta de materiais e medicamentos nas unidades de saúde, além da dificuldade de agendar exames, consultas e procedimentos cirúrgicos.

Prazos e determinações

No prazo de 60 dias, foi determinado pela Justiça que o Município apresente, entre outros pontos, quais medicamentos e insumos foram fornecidos; a especificação dos profissionais que atuam nas equipes de cada setor, informando se houve a falta de profissionais nos últimos seis meses e quanto tempo a população ficou desassistida; e a relação de dívidas em aberto de exercícios anteriores referente à atual gestão municipal

Já, dentro de 90 dias, conforme a Justiça, o Município deve providenciar a regularização do fornecimento de todos os medicamentos da Rede de Assistência Farmacêutica; a regularização dos materiais e insumos; a apresentação de um estudo com o dimensionamento adequado de pessoal; e a apresentação de um estudo com o dimensionamento adequado de pessoal, em relação aos servidores do Centro de Logística do Município de Palmas.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.