Reconhecimento

Prêmio de melhor equipe de endemias do Tocantins é destinado ao laboratório de Araguaína

É referência na identificação de larvas e pupas de Aedes aegypti, escorpiões e o bicho barbeiro,

Por Redação
Comentários (0)

29/11/2023 08h31 - Atualizado há 6 meses
A premiação foi concedida pelo Laboratório Estadual de Entomologia Médica

Araguaína recebeu o prêmio de melhor equipe de Laboratório de Endemias e Entomologia do Tocantins por cumprir todas as exigências da rede de controle de qualidade laboratorial e alcançar as produções técnicas mensais. Nas práticas laboratoriais, Araguaína é referência na identificação de larvas e pupas de Aedes aegypti, escorpiões e triatomíneos, nome científico dos bichos barbeiros, transmissores da Doença de Chagas.

“Ficamos felizes com o prêmio, pois é uma forma oficial de autenticação de qualidade comprovando que o nosso laboratório está dentro dos critérios e das exigências recomendadas”, disse o superintendente da Vigilância em Saúde, Eduardo Freitas.

A premiação foi concedida pelo Laboratório Estadual de Entomologia Médica, no último dia 23, em Palmas, durante a VII Reunião Anual de Avaliação da Rede de Laboratórios Entomoparasitológicos do Estado do Tocantins.

O órgão estadual realiza a avaliação do município anualmente por meio dos relatórios e a rotina das atividades laboratoriais. Ainda durante o evento, os laboratoristas municipais Ângelo Marcios dos Santos Ferreira, Elizandra Barbosa Resende e Vanessa de Sousa e Silva receberam menção honrosa em reconhecimento das atividades de excelência prestadas.

Como funciona o trabalho de investigação epidemiológica?

Na cidade, os ACE (Agentes de Combate às Endemias) visitam as casas a cada dois meses e, nesta rotina, é realizada a sensibilização da comunidade acerca da importância de detectarem os insetos transmissores de doenças e o devido fluxo de encaminhamento deles para a identificação e exames específicos.

Aliado à rotina dos ACE, os ACS (Agentes Comunitários de Saúde) também realizam essa sensibilização dentro das visitações. Além da parte técnica, os ACE e ACS repassam orientações à população sobre como lidar com cada um dos animais.

“Nós fazemos um trabalho de conscientização na zona urbana e rural, pedindo que os moradores fiquem atentos à presença desses animais.  A orientação é evitar pegar os insetos sem proteção nas mãos e armazená-los em potes devidamente fechados, e não colocar nada de líquido dentro desse pote”, informou a médica veterinária e responsável pelo Laboratório Municipal de Entomologia de Araguaína, Ketren Carvalho.

Segundo dados do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), 25% dos barbeiros examinados estão infectados pelo protozoário causador da Doença de Chagas. Os últimos casos registrados em Araguaína foram em 2019 e a transmissão, segundo o CCZ, teria ocorrido por meio da ingestão de um alimento contaminado, a bacaba. Após investigação epidemiológica, foram sete casos detectados.
 Os laboratoristas Ângelo Marcios dos Santos Ferreira, Elizandra Barbosa Resende e Vanessa de Sousa e Silva receberam menção honrosa em reconhecimento das atividades de excelência prestadas
 
A premiação foi concedida pelo Laboratório Estadual de Entomologia Médica no último dia 23, em Palmas, durante a VII Reunião Anual de Avaliação da Rede de Laboratórios Entomoparasitológicos do Estado do Tocantins

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.