Educação

Professores cobram reajuste do piso em Campos Lindos, Colmeia, Bandeirantes e Porto

Profissional participaram da paralisação nacional das atividades por um dia.

Por Joselita Matos | Conteúdo AF Notícias 1.072
Comentários (0)

16/03/2022 20h00 - Atualizado há 1 ano
Protesto em Campos Lindos

Professores de várias cidades do Tocantins paralisaram as atividades nesta quarta, 16 de março, para cobrar o pagamento do reajuste do piso nacional do magistério, bem como a valorização da categoria com melhores condições de trabalho nas escolas.

A paralisação atende ao chamado da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) para o Dia D de Mobilização Nacional da Educação.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins (Sintet) tem se reunido com os gestores municipais para ouvir suas propostas e reivindicar os direitos dos trabalhadores.

CAMPOS LINDOS

Depois da paralisação das atividades dos profissionais da Educação de Campos Lindos, o prefeito Romeu Kalugin prometeu apresentar uma proposta de pagamento do piso para os professores.

Os professores fizeram uma manifestação em frente à Escola Municipal Safira Camelo Gomes e reivindicam também melhores condições de trabalho. Segundo a categoria, as escolas precisam de reforma e os ares-condicionados estão parados há dois anos, além de goteiras nas salas de aulas.

"O sindicato vai manter a luta pelo reajuste do piso do magistério para os professores, mas aceitou suspender a mobilização até a reunião com a gestão”, informou a presidente do Sintet Regional de Araguaína, Rosy Franca.

PORTO NACIONAL

Já em Porto Nacional, a gestão do prefeito Ronivon Maciel (PSD) apresentou a situação financeira da pasta da Educação e informou que vai pagar o reajuste apenas para quem atualmente recebe abaixo do piso nacional.

No dia 05 de abril, terá outra reunião entre a Prefeitura e o Sintet para discutir a aplicação do reajuste do piso na carreira.

BANDEIRANTES

Em Bandeirantes, os profissionais da Educação também paralisaram suas atividades cobrando tanto o reajuste do piso do magistério como as progressões atrasadas.

Segundo o Sintet, o prefeito José Mário comunicou (por telefone) que vai pagar o reajuste do piso do magistério para os professores, mas não teria repassado mais detalhes de como será e a partir de quando.

COLMEIA

Nesta terça-feira (15/3), os professores da rede municipal de Colméia também saíram às ruas para cobrar do prefeito Joctã (PL) o pagamento do reajuste do piso salarial de 33,24%. A categoria ainda criticou a escassez de materiais pedagógicos nas escolas do município durante o protesto em frente à prefeitura da cidade.

"Colméia sempre cumpriu com o reajuste do piso salarial [nos anos anteriores], porém, infelizmente, a atual gestão ainda não cumpriu com o reajuste estabelecido para este ano", declarou um professor.

COLINAS

Já em Colinas, o reajuste de 33,2% será pago na folha salarial deste mês de março. O plano de carreira da categoria também foi reformulado. 

Professores de Colmeia cobram reajuste do piso salarial
Manifestação em frente à Prefeitura de Colmeia
Manifestação em Bandeirantes do Tocantins

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF Notícias. Todos os direitos reservados.