Psicultura

Região de Araguaína pode se tornar um dos maiores polos produtivos de peixes no Tocantins

A região do Bico do Papagaio já se desponta como novo polo de produção de peixes.

Por Redação 1.097
Comentários (0)

08/06/2023 09h27 - Atualizado há 11 meses
Participaram do evento piscicultores de vários municípios da região norte do estado

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins) e parceiros promoveram nesta quarta-feira (7) o 2⁰ Fórum de Piscicultura em Araguaína. 

O encontro faz parte da programação da Exposição Agropecuária de Araguaína (Expoara 2023) e foi voltado para produtores, pesquisadores e acadêmicos.

Com a participação de 80 pessoas, a proposta do Fórum foi apresentar as tecnologias e inovação voltadas para o desenvolvimento dessa importante atividade para o Estado, fazendo de Araguaína e região um dos principais pólos produtivos de pescados.

"O Fórum ficou acima das nossas expectativas, com uma participação de praticamente 80% do público sendo produtores, que entendem a importância de buscar conhecimento para melhorar sua produtividade. Acreditamos que, com a visão que apresentamos hoje, de Invocação, de tecnologia, e com as parcerias de instituições dispostas a ajudar nesse desenvolvimento, e também pelo potencial, a região de Araguaína pode se posicionar, nos próximos anos, entre os três polos produtivos de peixes do Estado", destacou o engenheiro de Pesca, coordenador do evento, Renan Sousa Silva.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/SIDRA), a produção de alevinos no Brasil obteve crescimento de 74,82% entre os anos de 2013 e 2021, com destaque para a tilápia. No Tocantins, o aumento foi de 51,54% no mesmo período.

O estado é considerado bem estruturado no quesito alevinagem. Atualmente, são 12 empresas instaladas nas regiões norte, central, sul e sudeste do Tocantins. Essas empresas abastecem o mercado interno e também parte dos estados do Maranhão, Goiás e Mato Grosso. Além disso, conta com a multinacional Genomar, que instalou um grande centro de reprodução e melhoramento genético de tilápia no município de Monte de Carmo. 

A região do Bico do Papagaio, extremo norte do Tocantins, já se desponta como novo polo de produção de peixes, segundo a publicação do Anuário Peixe BR da Piscicultura 2023, realizado pela Peixe BR (Associação Brasileira da Piscicultura) no ano de 2022.

Conforme o anuário, os maiores produtores de pescado no Estado estão nas regiões sudeste, Bico do Papagaio, Centro e norte. Na ordem por produtividade estão: Almas (sudeste), Sítio Novo do Tocantins (Bico), Dianópolis (sudeste), Porto Nacional (Central), Maurilândia (Bico), São Miguel (Bico), Itaguatins (Bico), Ipueiras (centro), Brejinho de Nazaré (Centro) e Guaraí (norte).

A proposta da Câmara Setorial da Piscicultura é aplicar o Plano Municipal de Desenvolvimento da Piscicultura em regiões estratégicas como Araguaína, Colinas, Gurupi, Novo Acordo, Lagoa do Tocantins, Ponte Alta do Tocantins e Porto Nacional. 

"Com a proposta do plano vamos solucionar os problemas e fazer com que esses municípios sejam autos sustentáveis na produção de peixes", explicou o engenheiro de Pesca do Ruraltins, Andrey Costa.

O Fórum ocorreu durante todo o dia, com a participação de produtores rurais dos municípios de Babaçulândia, Muricilândia, Goiatins, Filadelfia, Wanderlândia, Carmolândia, Araguaína, Araguanã e Santa Fé.

O produtor de peixes Luiz Ferreira Mota, da chácara Boa Esperança, em Araguaína, veio em busca de conhecimento para melhorar e aumentar a sua produção de tambaqui e pintado.

"Trabalho com peixe há 3 anos, e já cheguei a ter 8 mil peixes, mas tive que diminuir para 5 mil porque estava tendo problema, tive perdas e grande prejuízo. No momento tenho quatro tanques escavados para produção, mas minha meta é trabalhar com 8 a 10 tanques. Por isso vim aqui em busca de orientação, de informações para melhorar a minha produção. Nós temos um técnico,mas a demanda é grande; e nesse evento a gente tem a oportunidade de obter mais conhecimento, falar com especialistas que estão nos dando direção para aplicar nos nossos tanques", relatou o produtor.

O piscicultor de Babaçulândia, Francisco Pereira dos Santos, também acompanhou atentamente as palestras do Fórum e disse que a partir de agora terá condições de escolher melhor os alevinos. “Há alguns dias eu comprei uns filhotes desiguais, mas se estiver assim na próxima compra vou procurar em outro lugar”, afirmou. 

O gerente de pesca e aquicultura do Ruraltins, Andrey Chama da Costa, lembrou que o Fórum de Piscicultura vem consolidar um trabalho que o órgão desenvolve há anos na região. ‘’Buscamos fazer a transferência de tecnologia e conhecimento para os produtores e isso faz com que eles tenham condições de melhorar os seus negócios”.

Na programação, palestras e diálogos voltados para impulsionar a cadeia da piscicultura. Os pesquisadores da Embrapa falaram de Sistemas de Produção, ativos de Sexagem de peixes e a Piscicultura no norte do Tocantins com levantamento do perfil econômico médio das Pisciculturas da região norte do Estado. 

O engenheiro de Pesca da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura, Dyego Santana, trouxe informações sobre a importância de alevinos de qualidade. Enquanto que o responsável técnico pelo Programa Estadual de Sanidade dos Animais Aquáticos da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) abordou sobre as boas práticas para a sanidade dos peixes.

Já os técnicos do Ruraltins, Andrey Costa e Diego Barrios falaram sobre as ações da Câmara Setorial da Piscicultura; e Preparação de Viveiros, respectivamente. 

Parceiros

Este evento é uma realização conjunta entre o Governo do Tocantins por meio do Ruraltins, Adapec e Secretaria de Pesca e Aquicultura, o Sebrae, Embrapa, prefeitura municipal de Araguaína, Sindicato Rural e a empresa Socil.

Palestra sobre alevinos foi ministrada pelo representante da Sepea, Dyego Santana

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.