Tocantins

SEET diz que falta alimentação para servidores nos hospitais do Tocantins desde o mês de agosto

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

26/10/2016 15h02 - Atualizado há 1 mês
O Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins (Seet) e demais sindicatos da saúde (Simed, Sicideto, Sintras e Sindifato) notificaram o Secretário Estadual de Saúde, Marcos Esner Musafir, com relação ao restabelecimento da alimentação aos profissionais de enfermagem e demais servidores do quadro da saúde. Conforme o Seet, está faltando alimentação desde o final de agosto, quando o Governo do Estado assumiu a administração dos serviços de alimentação, limpeza e rouparia dos hospitais públicos. A notificação reitera ainda o dever do Estado em oferecer segurança alimentar e nutricional, conforme previsto na Norma Regulamentadora (NR24) que, por definição, compreende a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde, não podendo ser negligenciado aos seus profissionais e tutelados. Além disso, o documento afirma que tal postura vem ocasionando transtornos para os profissionais que estão sendo obrigados a arcar com as despesas de alimentação. “Despesa essa que é uma obrigação do Estado, o que vem se tornando cada vez mais inviável para os profissionais que estão com seus salários cada dia mais defasados”, reforçou o sindicato. Para o presidente do Seet, Claudean Pereira Lima, essa situação é corriqueira. “Infelizmente esta é a realidade dos profissionais de enfermagem e demais servidores da saúde, que não recebem o mínimo de condição para realizar as suas atividades. Convivemos com a falta de todo tipo de suporte ao exercício da nossa profissão dentro das unidades hospitalares do Estado e não vemos nenhum posicionamento do Estado e nem dos órgãos de fiscalização competentes para resolver as demandas da saúde”, desabafou. Os presidentes das entidades deram um prazo de 10 dias úteis para o Estado reestabelecer a alimentação, sob pena de, assim não proceder, os profissionais serem liberados para realizarem suas refeições em suas residências ou estabelecimentos comerciais, sem prejuízo de seus vencimentos ou punição administrativa, o que acarretará em mais prejuízos à assistência dos pacientes. (Asccom - SEET).

Comentários (0)

Mais Notícias

Notícias falsas

TSE vai anunciar medidas contra fake news após tensão entre Haddad e Bolsonaro

A semana que passou foi tensa, pois Haddad acusou Bolsonaro de estar por trás do esquema.

Concurso PM

Por requisição do MPE, PM vai apurar falhas no concurso para soldado e oficial

Cerca de 16 candidatos são acusados de fraudar as provas para o concurso da PM do Tocantins

Educação

Quase 130 professores de Araguaína ganham progressões salariais na carreira

Os educadores que subiram de nível receberão aumento em seus salários a partir de fevereiro de 2019

Prejuízo

Caminhão com carga avaliada em R$ 1,5 milhão é destruído pelo fogo na BR-153

O fogo começou nos pneus traseiros e rapidamente se espalhou pelo caminhão.

Colisão frontal

Pai e filho morrem em grave acidente de trânsito na BR-153 no norte do Estado

A rodovia ficou interditada por quase uma hora nos dois sentidos.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.