Na espera

Sem receber direitos há 10 anos, Saúde faz protesto com faixas e cartazes em Colinas

Os profissionais aguardam a primeira progressão desde 2012.

Por Joselita Matos
Comentários (0)

15/09/2021 10h18 - Atualizado há 1 semana
Manifestação de servidores da Saúde em Colinas do Tocantins

Quase 10 anos! Esse é o tempo que os profissionais da saúde do Município de Colinas do Tocantins estão aguardando para receber a primeira progressão na carreira, além dos retroativos referentes à data-base.

O Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria foi criado ainda no ano de 2012, mas os direitos dos servidores não estão sendo cumpridos pelas gestões municipais.

Nesta quarta-feira (15/9), os profissionais fizeram uma manifestação em frente à prefeitura usando faixas, cartazes e carro de som para cobrar uma posição do prefeito Josemar Casarin (PSL). A categoria não descarta uma paralisação. 

"Servidores da saúde de Colinas estão desmotivados! Há quase 10 anos aguardando ainda a 1ª progressão. Queremos data-base e progressões em dia", cobra uma das faixas. O movimento tem o apoio do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado do Tocantins (Sintras).

O QUE DIZ A PREFEITURA?

Em nota ao AF Notícias, a Prefeitura de Colinas disse que “recebeu, com surpresa, a notícia da paralisação dos serviços de enfermeiros nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), considerando que já existe uma negociação com todas as categorias do Município, para revisão no Plano de Carreira de pagamentos de todo o passivo deixado pelas gestões anteriores”.

A prefeitura disse ainda que já está em diálogo com o sindicato que representa os servidores do Quadro Geral, inclusive com grandes avanços. Conforme a nota, a assessoria contratada para a elaboração da proposta que será apresentada aos servidores já está finalizando os levantamentos.  

A decisão de iniciar as negociações com o Quadro Geral foi motivada pelo fato desta categoria estar com prejuízos nos salários, com mais de sete anos sem revisão, ao passo que outras categorias, incluindo a da Saúde, possuem salários menos defasados”, informou a prefeitura.

A prefeitura ainda ameaçou suspender as negociações caso haja paralisação dos servidores e ainda recorrer à Justiça. "Em caso de paralisação, prejudica as negociações, haja vista que não terá alternativa senão apelar ao Poder Judiciário para garantir a execução dos serviços essenciais da saúde, dentro deste cenário de pandemia, bem como a declaração de ilegalidade do movimento paradista”.

Profissionais de enfermagem durante protesto em Colinas do Tocantins.
Profissionais ameaçam paralisação no atendimento.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.