Recomendação

TCE vê irregularidade em licitação de R$ 55,8 milhões no Governo do Tocantins

Por Redação AF
Comentários (0)

08/03/2018 14h33 - Atualizado há 1 semana
O Tribunal de Contas do Estado (TCE) recomendou que o Governo do Tocantins reinicie um processo licitatório no valor de R$ 55,86 milhões para contratação de serviços de engenharia em obras de saneamento para 16 municípios do Estado. A Recomendação da 6ª Relataria foi publicada no Boletim Oficial do TCE na última segunda-feira, 5 de março. O documento enviado ao secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Sérgio Leão, se dá porque o Estado não exigiu atestado operacional das empresas interessadas em participara do certame, ou seja, uma comprovação de que possuem experiência e condições de executarem as obras. . Conforme o conselheiro Alberto Sevilha, que assina a recomendação, o edital do concorrência nº 02/2018 precisa ser republicado, reabrindo os prazos inicialmente estabelecidos e corrigir a falha de não exigência de atestado operacional. “Devendo essa exigência guardar proporção com a dimensão e a complexidade do objeto a ser licitado, visando resguarda o patrimônio público e a execução total da obra, de modo a evitar danos ao erário”, destaca o conselheiro. Destinatário da recomendação, Sérgio Leão chegou a ser preso em novembro de 2016 durante a 'Operação Reis do Gado' e se afastou do cargo, a pedido, por 60 dias. No entanto, a prisão foi revogada em poucos dias e ele retornou ao cargo antes. O secretário permanece até hoje no posto. A operação teve como alvo o próprio governador Marcelo Miranda (PMDB) e um irmão do mandatário também chegou a ser preso. Confira, abaixo, a recomendação do TCE na íntegra: RECOMENDAÇÃO 6ª RELATORIA TCE/TO Nº 01/2018 Assunto: Concorrência 02/2018 A SEXTA RELATORIA DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS, no intuito de garantir o efetivo Controle Externo, por meio de um sistema de fiscalização, orientação e avaliação dos resultados da gestão e das políticas públicas, em benefício da sociedade, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, com arrimo nos artigos 71, da Constituição Federal e no artigo 32, da Constituição do Estado do Tocantins, e CONSIDERANDO o Edital de Concorrência nº 02/2018, que tem como objeto a Contratação de Serviços de Engenharia, para execução de obras de saneamento em 16 (dezesseis) municípios do Estado do Tocantins, estimado no valor de R$ 55.860.501,84 (cinquenta e cinco milhões, oitocentos e sessenta mil, quinhentos e um reais e oitenta e quatro centavos). CONSIDERANDO que em uma análise preliminar do Edital de Concorrência nº 02/2018, verificamos a omissão na exigência de atestado operacional para as empresas interessas em participar do certame. CONSIDERANDO que os atestados de qualificação técnico-operacional visam a comprovar, segundo Marçal Justen Filho, que “a empresa, como unidade jurídica e econômica, participara anteriormente de contrato cujo objeto era similar ao previsto para a contratação almejada pela Administração Pública. ” CONSIDERANDO o vultuoso valor estimado para o objeto da licitação e ainda o tipo de serviços, faz-se necessária a exigência do atestado operacional, devendo essa exigência guardar proporção com a dimensão e a complexidade do objeto a ser licitado, visando resguardar o patrimônio público e a execução total da obra, de modo a evitar danos ao erário. CONSIDERANDO que a exigência do atestado operacional para o objeto da Concorrência nº 02//2018, é indispensável, vez que, se trata de objeto complexo. CONSIDERANDO que até o presente momento não ocorreu a fase de habilitação das empresas, não causando qualquer prejuízo para as empresas interessadas em participar do procedimento licitatório. CONSIDERANDO que a suspensão de licitações em andamento se presta, eminentemente, a corrigir distorções no certame, que assim, possam resultar em prejuízo ao erário. CONSIDERANDO que a “Administração pode anular seus próprios atos, quando eivados de vícios que os tornam ilegais, porque deles não se originam direitos; ou revogá-los, por motivo de conveniência ou oportunidade, respeitados os direitos adquiridos, e ressalvada, em todos os casos, a apreciação judicial” (STF, Súmula 473); RESOLVE RECOMENDAR ao Excelentíssimo Senhor Secretário de Estado da Infraestrutura e Serviços Públicos, Sr. SÉRGIO LEÃO, a adoção de providências, no prazo de 48h (quarenta e oito horas), nos seguintes termos:
  1. a) que se adotem as providências administrativas necessárias para retificar o processo licitatório que culminou com o edital do Concorrência nº 02/2018, devendo ser novamente publicado, reabrindo os prazos inicialmente estabelecidos, com intuito de corrigir as falhas apontas nesta recomendação, para exigir atestado operacional, devendo essa exigência guardar proporção com a dimensão e a complexidade do objeto a ser licitado, visando resguarda o patrimônio público e a execução total da obra, de modo a evitar danos ao erário.
  2. b) que se remeta à 6ª Relatoria do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins, no prazo de 48h (quarenta e oito horas), a partir do recebimento desta recomendação, informações circunstanciadas sobre as providências adotadas. Intime-se, pessoalmente, ao Excelentíssimo Senhor Secretário de Estado da Infraestrutura e Serviços Públicos, Sr. SÉRGIO LEÃO
Publique-se. CUMPRA-SE. Tribunal de Contas do Estado do Tocantins, Sala das Sessões Plenárias, em Palmas, Capital do Estado, aos 05 dias do mês de março de 2018. Alberto Sevilha Conselheiro

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.