Polêmica

Wanderlei Barbosa culpa Amastha por rombo de R$ 50 milhões na previdência dos servidores de Palmas

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

16/03/2018 11h34 - Atualizado há 3 anos
Nielcem Fernandes//AF Notícias  O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) cobrou explicações do prefeito da capital, Carlos Amastha (PSB), sobre o dinheiro pertencente aos servidores que foi aplicado em fundos temerários pelo Instituto de Previdência Social do Município de Palmas (PreviPalmas). O rombo estimado pode chegar a R$ 50 milhões. O parlamentar responsabilizou o pré-candidato ao Governo do Estado pelos danos causados ao erário do município durante a sessão dessa quarta-feira (14) na Assembleia Legislativa. Ele também falou com exclusividade ao AF Notícias. Wanderlei se mostrou preocupado com o déficit na previdência dos servidores municipais e questionou a legitimidade da aplicação, uma vez que a empresa Fundo Cais Mauá, já havia realizado através da Icla Trust (agora NSG Capital, a mesma que geria o Fundo BFG, das churrascarias Porcão) uma aplicação que rendeu prejuízo de R$ 330 milhões ao Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev). "Minha preocupação é que com tantas instituições financeiras, o dinheiro foi aplicado justamente na Cais de Mauá que já rendeu um enorme prejuízo ao Igeprev. Se não conseguirmos recuperar esses recursos, o prejuízo ao sistema previdenciário de Palmas será muito grande. A saída do gestor ficou muito confusa", disse, referindo-se à Fábio Martins Costa, ex-diretor do Igeprev exonerado na segunda-feira (12) por Amastha. Wanderlei afirmou também que o grande culpado pelo investimento temerário é o prefeito Carlos Amastha, que deveria ter ciência de tal aplicação. Segundo o parlamentar, o ex-diretor disse que não tinha autonomia para realizar a operação. "Eu não tenho dúvidas de que um gestor não deixaria apenas um diretor aplicar esse montante (R$ 30 milhões) sem passar pelo seu crivo. Quem nomeia o pessoal de primeiro escalão é o prefeito. Ele não pode se esconder de tantas coisas feitas contra o erário. Não é por que tem pretensões ao Governo que ele pode jogar a culpa para os outros e dizer que está sendo vítima de perseguição”, declarou. Além de responsabilizar o prefeito pelo prejuízo, Wanderlei cobrou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara de Palmas para apurar os fatos e garantiu que vai acompanhar o desenrolar do caso. "O comportamento do prefeito em relação ao dinheiro público é muito confuso. São altos valores e estamos falando apenas dessa operação que está em pauta. Ai tem muita coisa para ser explicada. Vamos explicar esse prejuízo ao sistema previdenciário municipal a partir do momento em que a CPI da Câmara for instaurada", pontuou. Para o deputado, Palmas está sendo maquiada para esconder a má gestão. "Tenho interesse nessa discussão e vou acompanhar de perto por que vejo Palmas como uma cidade que está sendo maquiada para esconder esse má gestão do dinheiro público. As autoridades estão atentas e isso é fundamental para aplicação dos recursos e botar medo nessa turma que se acostumou com essa prática. Não vamos nos calar diante disse. Vamos chamar a atenção dos órgãos de fiscalização para que os responsáveis sejam penalizados por esse prejuízo aos cofres públicos”, concluiu.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.