Senado

A obsessão de Irajá no Senado: legalizar os jogos de azar no Brasil. Mas quem ganha com isso?

Funcionamento de bingos, cassinos e máquinas caça-níquel é proibido desde 2001.

Por Redação 522
Comentários (0)

18/06/2024 15h00 - Atualizado há 1 mês
Senador Irajá

Notícias do Tocantins - O senador Irajá (PSD-TO) parece ter encontrado sua vocação no Congresso Nacional: ser o embaixador da indústria bilionária dos jogos de azar no Brasil. O parlamentar tocantinense é o relator do Projeto de Lei (PL) 2.234/2022 e tem atuado fortemente no lobby para legalizar o funcionamento de cassinos, bingos e, até mesmo, do Jogo do Bicho. 

A legalização é um assunto controverso e, segundo críticos do projeto, pode abrir as portas para a lavagem de dinheiro do crime organizado e a evasão fiscal. Por outro lado, não deve gerar resultados positivos para estados com populações pequenas, como o Tocantins, terra natal do senador, uma vez que vai beneficiar apenas grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro e cidades litorâneas.

O projeto, previsto para ser votado nesta semana, já foi tirado de pauta várias vezes e enfrenta grandes obstáculos no Senado, principalmente por parte da bancada evangélica, que é contra a proposta. Vale lembrar que a legalização das apostas online, que já é uma realidade no país, tem sido alvo de críticas devido ao aumento de casos de dependência, a influência de menores de idade a jogar, a golpes e ao superendividamento da população.

Uma pesquisa Datafolha mostra que 17% dos beneficiários do Bolsa Família - o programa de transferência de renda do governo federal destinado a pessoas de baixa renda - disseram ter apostado ou já terem feito apostas esportivas online, onde 30% relatam gastar ou ter gastado mais de R$ 100 por mês.

No Brasil, desde 2001, é proibido o funcionamento de bingos, cassinos e máquinas caça-níquel. A pergunta que fica, no entanto, é qual o real interesse de Irajá nesse projeto, que pode afetar fortemente a vida da população mais pobre? O que ele ganha com a legalização dos jogos de azar no Brasil? 

Veja a seguir uma lista de alguns dos principais argumentos favoráveis e contrários à medida:

Pontos positivos:

  • Geração de empregos em diferentes áreas, como turismo, serviços, construção civil e segurança;
  • Aumento da arrecadação de impostos, que poderia ser investida em infraestrutura e serviços públicos;
  • Impacto positivo no turismo local, atraindo visitantes de outras regiões e países;
  • Possível melhoria da infraestrutura local com a coleta de impostos e investimentos imobiliários.

Pontos negativos:

  • Possibilidade de facilitar a lavagem de dinheiro, já que os cassinos são locais propícios para a prática desse crime;
  • Proliferação de organizações criminosas, que podem se aproveitar da legalização dos jogos para expandir suas atividades;
  • Possível sonegação fiscal sem um controle rígido, o que poderia prejudicar a arrecadação de impostos;
  • Aumento de pessoas com problemas de saúde mental, ou a ludopatia, que é um comportamento aditivo que consiste em jogar e apostar sucessiva e descontroladamente;
  • Aumento de pessoas endividadas por causa dos jogos.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.