Armas e munições serão recolhidas se policiais civis não retornarem ao trabalho em 24 horas

Por Redação AF
Comentários (0)

14/03/2015 08h39 - Atualizado há 3 semanas
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br /> <br /> O Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (Gecep) do Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual (MPE), encaminhou recomenda&ccedil;&atilde;o aos secret&aacute;rios estaduais da Seguran&ccedil;a P&uacute;blica e da Defesa e Prote&ccedil;&atilde;o Social do Tocantins, nesta sexta-feira, 13, requerendo que seja informado se existem armas, muni&ccedil;&otilde;es, coletes, viaturas ou outros equipamentos de trabalho, pertencentes &agrave;s secretarias, em posse de profissionais que estejam fora do exerc&iacute;cio de suas fun&ccedil;&otilde;es.<br /> <br /> Segundo a recomenda&ccedil;&atilde;o do MPE, caso realmente haja equipamentos de trabalho em posse de servidores nessa situa&ccedil;&atilde;o, deve ser providenciado o recolhimento dos objetos, informando-se ao Gecep.<br /> <br /> Ainda de acordo com o documento, as secretarias devem notificar os servidores que n&atilde;o est&atilde;o exercendo suas fun&ccedil;&otilde;es, por meio de publica&ccedil;&atilde;o no Di&aacute;rio Oficial, para que entreguem armas, muni&ccedil;&otilde;es, coletes, viaturas e equipamentos que estejam em seu poder. Se houver descumprimento da notifica&ccedil;&atilde;o, o nome dos servidores deve ser informado ao Gecep, indicando-se que objetos se encontram com cada um, para que o grupo adote as provid&ecirc;ncias cab&iacute;veis.<br /> <br /> A recomenda&ccedil;&atilde;o justifica-se por ser o Minist&eacute;rio P&uacute;blico a institui&ccedil;&atilde;o respons&aacute;vel por exercer o controle da atividade policial, segundo determina a Constitui&ccedil;&atilde;o Federal.<br /> <br /> <u><strong>24 horas para retornar ao trabalho ou entregar as armas</strong></u></span><br /> <br /> <span style="font-size:14px;">Foi assinada, na tarde desta sexta-feira, 13, uma portaria conjunta entre a Secretaria de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica (SSP) e a Secretaria de Estado da Defesa e Prote&ccedil;&atilde;o Social (Sedeps) acatando a recomenda&ccedil;&atilde;o do MPE.&nbsp;</span><br /> <br /> <span style="font-size:14px;">A portaria conjunta determina o retorno imediato ao trabalho de todos os agentes p&uacute;blicos que fazem parte da Pol&iacute;cia Civil, em &quot;estado de insurg&ecirc;ncia&quot;, segundo o Governo, bem como dos agentes penitenci&aacute;rios que estejam na mesma situa&ccedil;&atilde;o. Conforme a portaria, caso isto n&atilde;o ocorra, fica determinado que os grevistas entreguem suas armas num prazo m&aacute;ximo de 24 horas.<br /> <br /> <em>&ldquo;A arma &eacute; acautelada ao policial civil e ao agente penitenci&aacute;rio no exerc&iacute;cio de suas fun&ccedil;&otilde;es. Se esta fun&ccedil;&atilde;o n&atilde;o est&aacute; sendo exercida, por conta de um movimento de insurg&ecirc;ncia em flagrante desobedi&ecirc;ncia &agrave; decis&atilde;o judicial, n&atilde;o h&aacute; motivo para o uso de arma, at&eacute; porque n&atilde;o se tem not&iacute;cia da exist&ecirc;ncia de algum outro movimento grevista armado, em qualquer unidade da Federa&ccedil;&atilde;o&rdquo;</em>, disse o secret&aacute;rio de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica,&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">C&eacute;sar Roberto Simoni de Freitas</span><span style="font-size:14px;">.<br /> <br /> Ainda segundo a Portaria, caso as armas n&atilde;o sejam devolvidas ao Delegado de Pol&iacute;cia Civil que comanda o Grupo de Opera&ccedil;&otilde;es T&aacute;ticas (Gote) &ndash; que estar&aacute; em plant&atilde;o permanente a cargo de receber as armas -&nbsp; a consequ&ecirc;ncia natural ser&aacute; a atua&ccedil;&atilde;o da Procuradoria Geral do Estado (PGE), para que sejam adotadas as medidas judiciais cab&iacute;veis, bem como a comunica&ccedil;&atilde;o aos membros do Minist&eacute;rio P&uacute;blico para os fins que entenderem de direito.</span><br />
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

De olho nas oportunidades

Vagas temporárias: qual o perfil das pessoas a serem contratadas no Tocantins?

50% dos comerciantes preferem contratar mulheres para ocuparem os cargos.

Danos morais

Empresas são condenadas por negativar nome de mulher falecida no Tocantins

A suspensão das cobranças deveria ter sido feita logo após o óbito por conta de seguro.

Profissões

Top 20: Profissões que mais avançaram nos últimos anos e outras que sumiram

Nas que mais avançaram, há uma predominância de atividades voltadas para a saúde.

Oportunidades

230 vagas de emprego para Palmas, Araguaína e mais sete cidades do Tocantins

As cidades que têm mais vagas disponíveis são Araguaína, com 64, Palmas, 56, e Taquaralto, 26.

Política

Bolsonaro cogita Sérgio Moro no Supremo Tribunal Federal, diz presidente do PSL

Bebianno é cotado para ser ministro da Justiça num eventual governo Bolsonaro.

3ª Corrida da Justiça

Cerca de 1.000 atletas participam de tradicional prova noturna no Tocantins

Os corredores se dividiram em dois trajetos (5 e 10 km) finalizando na na Praça dos Girassóis.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.