Palavra de especialista

Automedicação pode mascarar doenças e agravar problemas, alerta farmacêutico do Tocantins

Outro assunto que tem sido amplamente debatido é o estímulo através de publicidade exagerada.

Por Redação 555
Comentários (0)

28/06/2019 09h51 - Atualizado há 2 anos
Maykon Paiva

O uso inadequado de medicamentos ainda é a principal de causa de intoxicação humana com mais de 20 mil casos relatos por ano no Brasil. Um exemplo clássico de automedicação é o abuso de antibióticos, quando o consumo descontrolado destes medicamentos tem sido associado ao aumento da resistência microbiana, cada vez mais comum e se tornado um grave problema de saúde pública.

Muitas vezes o uso indiscriminado acaba mascarando outras doenças e até mesmo potencializando um problemas que poderia ser facilmente resolvido, alerta o Farmacêutico Maykon Paiva que é especialista em Farmácia Clínica e Hospitalar.

Maykon destaca que medicamentos considerados 'inofensivos', mas usados de maneira irracional, podem trazer consequências como resistência bacteriana, reações de hipersensibilidade, dependência, e, inclusive, aumentar o risco para as neoplasias.

Outro assunto que tem sido amplamente debatido é o estímulo através de publicidade exagerada para a compra de medicamentos, nos últimos anos a competitividade tem gerado em alguns casos excesso de mídia e artimanhas que atraem consumidores a comprar medicamentos.

"É muito preocupante ver que algumas empresas se usam de todos os artifcios para vender medicamentos, e o pior estimular o uso de alguns que só pode ser vendidos com a indicação médica, não é um comércio qualquer, estamos falando de fórmulas que alteram o organismo" destacou Maykon Paiva.

As propagandas de medicamentos são regulamentadas e os casos de excesso devem ser denunciados a Vigilância Sanitária, órgão competente para coibir e fiscalizar esse tipo de ato.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.