Ensino a distância

Batalha judicial contra Educon poderia quebrar a Unitins com rombo de R$ 200 milhões

Mais de 110 mil estudantes poderão concluir cursos.

Por Redação 714
Comentários (0)

14/09/2021 08h37 - Atualizado há 1 semana
Acordo foi anunciado em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 13

A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) firmou um acordo judicial com o Ministério Público Federal (MPF) e a Advocacia Geral da União (AGU), que representa o Ministério da Educação (MEC), para regularização acadêmica de 110.307 estudantes matriculados em cursos de ensino a distância que eram oferecidos pela Sociedade de Educação Continuada (Educon), também chamada Eadcon, entre os anos de 2005 e 2009.

O acordo foi anunciado em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (13), com participação do reitor da Unitins, Augusto Rezende; do procurador da República (MPF), Fernando Antônio de Alencar Alves de Oliveira Júnior; advogado da União (AGU), Leonardo Tagarrô Rodrigues; e do procurador do Estado (PGE), Thiago Emanoel Azevedo de Oliveira. 

O imbróglio que se arrastava há mais de 11 anos já foi alvo de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e chegou à execução da ação contra a Unitins, com multas e eventuais indenizações que somariam mais de R$ 200 milhões de prejuízo aos cofres públicos, conforme cálculos do MPF.

Com o acordo firmado, os alunos poderão optar por se transferirem para outra instituição de ensino, ou mesmo concluir o curso pela Unitins. A Universidade lançará um edital específico de regularização acadêmica para esses estudantes até a próxima segunda-feira (20), que ficará aberto por 90 dias, período no qual os alunos interessados deverão se manifestar conforme as recomendações do respectivo edital.

O procurador da República Fernando Antônio de Alencar Alves de Oliveira Júnior explicou que os alunos poderão fazer a transferência para outras instituições de ensino e dar andamento no respectivo curso de graduação em formato semelhante ao que a Unitins e a Eadcon ofertavam: EaD, com pagamento de mensalidade em valor diferenciado e aproveitamento das disciplinas já cursadas.

Conforme o acordo celebrado, a Unitins deverá dar ampla divulgação ao edital por meio de rádios em todo o país e, também, através de suas redes sociais oficiais no Instagram e Facebook. Os alunos interessados também terão um telefone e e-mail de contato por meio do qual poderão sanar dúvidas sobre as pendências e a regularização acadêmica.

O reitor da Unitins, Augusto Rezende, destacou que o acordo firmado trará uma enorme economia para os cofres públicos. “Um processo que somaria mais de R$ 200 milhões de prejuízo, o que corresponde praticamente a quatro vezes o valor do orçamento anual da Unitins, inviabilizaria totalmente a Universidade e as ações do Governo do Estado, uma vez que mais de 90% dos nossos recursos são oriundos do Tesouro Estadual. Com esse acordo a gente reduz o dano a 1%, sendo que a nossa previsão é concluir todo o acordo com aplicação de cerca de R$ 2 milhões”, explica o reitor.

Para atender as cláusulas previstas no acordo, a Unitins afirmou que já está realizando os trâmites para assegurar a elaboração e publicação do edital e sua ampla divulgação, sendo que para este último conta com apoio da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom).

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.