Tocantins

Centenas de PMs podem ser exonerados com decisão do TJ que anula edital de 2013

O concurso foi organizado pela Consulplan e ofertou 300 vagas, sendo 270 para homens e 30 para mulheres.

Por Redação 17.796
Comentários (0)

09/11/2018 14h18 - Atualizado há 3 meses
Quartel da PM em Palmas

Uma decisão do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) provocou uma reviravolta no concurso público da Polícia Militar, realizado em 2013, ao determinar a anulação do edital nº 002/2013/CFSD/PMTO e também as nomeações de todos os candidatos beneficiados por ele.  

Além disso, o Estado deve convocar os candidatos classificados na 1ª Chamada, nos termos previstos no Edital n° 001/2013/CFSD/PMTO, para participarem das fases seguintes do concurso, com a consequente nomeação dos aprovados dentro do número de vagas previstas, após a conclusão de todas as etapas do certame. A multa para o caso de descumprimento varia de R$ 300 a R$ 30 mil.

O concurso foi organizado pela Consulplan e ofertou 300 vagas, sendo 270 para homens e 30 para mulheres. A decisão deve impactar cerca de 100 policiais militares. 

O Ministério Público Estadual, autor da Ação Civil Pública, explicou que as regras estabelecidas para a classificação e aprovação foram modificadas durante a realização do certame, prejudicando os candidatos que haviam sido classificados na 1ª chamada em virtude da correção complementar da redação de candidatos que não haviam obtido a pontuação mínima exigida pelo Edital nº 001.

Devido a essa mudança, muitos candidatos que já tinham sido convocados tiveram a classificação rebaixada e acabaram excluídos do concurso.

O novo edital de nº 002 estabeleceu que as provas discursivas de 120 candidatas [feminino] e de 130 candidatos [masculino] seriam adicionadas para a correção.

Para o MPE, essa situação fere os princípios norteadores da Administração Pública, como a legalidade, boa-fé, isonomia, segurança jurídica e vinculação ao edital. 

"Em sendo reconhecida a nulidade, deve o Poder Judiciário garantir aos candidatos preteridos uma nova chance para concorrerem aos cargos aos quais almejavam ocupar", diz o acórdão da decisão do TJ.

Cabe recurso. 

Veja aqui todas as etapas do concurso de 2013.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.