Polêmica

Dimas aumenta carga horária de merendeiras e serviços gerais; Sintet critica medida

A alteração iniciou no início de fevereiro sob a promessa de cortar gastos, segundo os servidores.

Por Redação 1.470
Comentários (0)

26/02/2019 17h54 - Atualizado há 2 meses

A recente alteração da carga horária das servidoras auxiliares de serviços gerais (ASG) e merendeiras da rede municipal de educação de Araguaína, de 06 para 08 horas diárias, foi duramente criticada pelo Sindicado dos Trabalhadores em Educação do Tocantins (Sintet). 

Por ordem do prefeito Ronaldo Dimas, a mudança começou no início de fevereiro sob a alegação de cortar gastos, segundo os servidores.

O Sintet explicou que o trabalho das merendeiras e auxiliares requer muito esforço físico e, por isso, sempre trabalharam em jornada corrida. Além disso, essas funções são geralmente desempenhadas por mulheres, maioria já com a idade avançada, em razão de que o último concurso para a área foi realizado há vários anos.

A presidente do Sintet Regional de Araguaína (Sintet), Rosy Franca, contestou a mudança e disse que Dimas não foi sensível aos problemas de saúde de várias servidoras efetivas.

"Sabemos das dificuldades, mas também sabemos que somente juntos podemos encontrar uma solução. Precisamos levar em consideração a idade das trabalhadoras, que em sua maioria tem entre 50 e 60 anos", disse Franca. 

Ela também afirmou não entender quais os motivos para tal mudança, pois as servidoras trabalharam por muitos anos com a carga horária antiga.     

Uma assembleia na sede do Sintet em Araguaína com as merendeiras e auxiliares de serviços gerais ocorreu nesta terça-feira (26) para discutir a mudança da carga horária.

O sindicato disse também que até agora não conseguiu se reunir com o prefeito Ronaldo Dimas para dialogar sobre o assunto. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.