Irregularidade

Dívida consolidada do Igeprev já chega a R$ 28 bilhões; Governo quer parcelar em quase 17 anos

Por Redação AF
Comentários (0)

21/09/2017 09h08 - Atualizado há 1 mês
O Governo do Estado enviou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 40/2017 solicitando autorização para parcelar e reparcelar dívidas junto ao Igeprev – Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins. Contudo, o projeto não traz qualquer detalhe sobre o valor da dívida. Protocolado no último dia 12, o projeto diz apenas que o "parcelamento" e o "reparcelamento" serão pagos em até 200 prestações (mais de 16 anos) e que, para apuração do montante a ser parcelado, os valores originais serão atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acrescidos de juros compostos de 1% ao mês e de multa de 2%. Entretanto, não traz qualquer informação sobre os "valores originais". O projeto também não informa se o montante a ser parcelado trata-se das contribuições dos servidores que o governo descontou em folha e não repassou ao instituto, o que constituiria crime de responsabilidade e apropriação indébita. Um ofício já foi enviado na terça-feira (19) ao presidente do Igeprev, Jacques Silva, e à governadora em exercício, Cláudia Lelis, cobrando relatório detalhado da dívida do instituto, bem como cópia dos termos de acordo anteriormente firmados. Recentemente o presidente do Igeprev declarou em entrevista que o valor da dívida relativa às contribuições previdenciárias era de R$ 1,025 bilhão. “O Igeprev tem dívidas de R$ 462,8 milhões de parcelamentos acordados; R$ 364 milhões de passivos das contribuições patronais dos inativos de 2005 até agora; R$ 180 milhões de repasses e contribuições em atraso, recursos que são descontados dos servidores e não são repassados ao Igeprev, isto é grave, é improbidade administrativa; R$ 19 milhões de contribuição patronal dos remanescentes de Goiás; que somam uma dívida de R$ 1,025 bilhão”, enumerou o deputado Paulo Mourão. O parlamentar solicitou ao TCE uma avaliação sobre o parcelamento e reparcelamento da dívida do Igeprev. Segundo Mourão, o pedido de parcelamento não inclui a dívida consolidada do Igeprev que já chega a R$ 28 bilhões, nem a dívida líquida de R$ 24 bilhões. “As pessoas me falam: não é possível um estado dever isso, mas é, está no orçamento é só ler, não sou eu que estou inventando números não. Mês que vem o Secretário de Planejamento virá aqui apresentar as contas do quadrimestre. Está lá no relatório simplificado da gestão em letras bem pequenas, mas está o valor da dívida”, garantiu. Atualmente, o Estado não tem a Certidão de Regularidade Previdenciária (CRP), um problema recorrente desde 2014. A falta do CRP impede a contratação dos três empréstimos pelo governo, aprovados pela AL recentemente, que totalizam R$ 730 milhões. VEJA MAIS... http://afnoticias.com.br/marcelo-miranda-deixou-de-repassar-r-1-bilhao-ao-igeprev-e-comprometera-aposentadorias/

Comentários (0)

Mais Notícias

De Figueirópolis

Professor do Tocantins vence prêmio nacional com projeto sobre esportes

O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos professores que contribuem para a qualidade da educação básica.

Investigação

PF prende médico no Tocantins em operação que investiga corrupção na Saúde

Mandados também estão sendo cumpridos em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Parauapebas (PA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

Estado

Bunge Açúcar e Bioenergia abre vagas para jovens engenheiros no Tocantins

As inscrições vão até o dia 9 de novembro.

Nesta quinta, 18

Vagas de emprego para manicure, mecânico, porteiro, zelador e vendedor

As vagas são para todos os níveis de escolaridade e estão distribuídas em nove cidades do Estado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.