Em Araguaína, reformam-se UBS, mas faltam medicamentos; constrói-se UPA, mas faltam recursos para funcionamento

Por Redação AF
Comentários (0)

26/09/2013 18h22 - Atualizado há 1 segundo
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;"><u>Arnaldo FIlho</u><br /> <i>Opini&atilde;o</i><br /> <br /> A falta de sa&uacute;de p&uacute;blica de qualidade &eacute; o maior clamor da sociedade. Basta recordarmos das recentes audi&ecirc;ncias p&uacute;blicas realizadas em Aragua&iacute;na para debater o assunto, das a&ccedil;&otilde;es movidas pelos Minist&eacute;rios P&uacute;blicos Estadual e Federal [inclusive na tentativa de evitar o fechamento da Cl&iacute;nica S&atilde;o Francisco e tamb&eacute;m para garantir a continuidade do atendimento no HDT durante o processo de federaliza&ccedil;&atilde;o], e antes disso, das fabulosas promessas de campanha eleitoral que, dada a fragilidade do sistema e necessidade da popula&ccedil;&atilde;o, conquistaram a simpatia de um povo carente por mais sa&uacute;de e seguran&ccedil;a p&uacute;blica.<br /> <br /> Imposs&iacute;vel n&atilde;o lembrarmos do &ldquo;M&eacute;dico na Porta&rdquo;, dos &ldquo;17 hospital regionais&rdquo;, das &ldquo;Cl&iacute;nicas da Mulher&rdquo; e tamb&eacute;m do &ldquo;Hospital Geral de Aragua&iacute;na&rdquo;. J&aacute; um pouco mais recente, sonhamos com a marca&ccedil;&atilde;o de consultas via 0800, com as UPA especializadas para crian&ccedil;as, mulheres e idosos [uma inaugura&ccedil;&atilde;o a cada ano] e tamb&eacute;m do rem&eacute;dio na porta para os hipertensos, dentre outras.<br /> <br /> Acontece que de sonhos e fantasias, nem os contos de fadas sobrevivem. E, infelizmente, hora ou outra somos acordados pela realidade e percebemos que nada disso foi cumprido em 3 anos de Governo Siqueira Campos, e pouqu&iacute;ssimo se fez em quase um ano de Governo Dimas.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;<br /> <br /> Em Aragua&iacute;na, reforma-se Postos de Sa&uacute;de, mas faltam medicamentos. Constr&oacute;i-se UPA, mas faltam recursos para coloc&aacute;-la em funcionamento. Fica at&eacute; parecendo que o Or&ccedil;amento de 337 milh&otilde;es foi apenas argumento eleitoreiro; uma proje&ccedil;&atilde;o irreal.<br /> <br /> Lembro-me quando dizia Siqueira Campos: &ldquo;se n&atilde;o roubar, dar&rdquo;, mas n&atilde;o deu. Apesar disso, esperamos que Aragua&iacute;na tenha jeito, como pregou Ronaldo Dimas, mas n&atilde;o aquele jeitinho brasileiro, de promessas n&atilde;o cumpridas, popula&ccedil;&atilde;o n&atilde;o respeitada ou aplica&ccedil;&atilde;o de dinheiro p&uacute;blico naquilo que n&atilde;o &eacute; essencial.<br /> &nbsp;&nbsp;<br /> N&atilde;o que o prefeito n&atilde;o tenha seus m&eacute;ritos por muitas das a&ccedil;&otilde;es j&aacute; realizadas, e que vem realizando, principalmente na infraestrutura urbana, mas infelizmente, a sa&uacute;de ainda padece e carece de maior aten&ccedil;&atilde;o.<br /> <br /> <u><strong>Nos postos de sa&uacute;de (UBS)</strong></u><br /> <br /> Recentemente ouvi muitas reclama&ccedil;&otilde;es quanto &agrave; falta de medicamentos nos postos de sa&uacute;de, inclusive as principais vacinas para crian&ccedil;as [tr&iacute;plice viral ou tetravalente e DTP]. Esta quinta-feira (26) tive o dissabor de conhecer pessoalmente essa realidade quando levei minha filha em duas UBS.&nbsp;<br /> <br /> As respostas que ouvimos s&atilde;o variadas: n&atilde;o h&aacute; vacinas; s&oacute; na quinta-feira; s&oacute; ap&oacute;s o dia 10 de outubro. Al&eacute;m disso, a funcion&aacute;ria confessou que n&atilde;o se trata de um caso isolado, mas de problema que se repete constantemente. J&aacute; para as m&atilde;es de fam&iacute;lias &eacute; necess&aacute;rio se submeter &agrave; sorte e maratona de idas e vindas na tentativa de encontrar as vacinas.<br /> <br /> Ainda quando falamos na aten&ccedil;&atilde;o &agrave;s crian&ccedil;as, lembro-me das cr&iacute;ticas j&aacute; feitas neste espa&ccedil;o em rela&ccedil;&atilde;o ao Hospital Municipal de Aragua&iacute;na que faz um atendimento &lsquo;a portas fechadas&rsquo;. Isso significa que as crian&ccedil;as s&atilde;o submetidas a um teste de resist&ecirc;ncia na UPA do Aragua&iacute;na Sul antes de serem encaminhadas ao HMA. Em resumo, o Hospital est&aacute; subutilizado e as crian&ccedil;as desassistidas, como bem lembrou a promotora de justi&ccedil;a Ara&iacute;na D&rsquo;Alessandro.<br /> <br /> <u><strong>Explica&ccedil;&otilde;es</strong></u><br /> <br /> Em resposta as nossas cobran&ccedil;as, a prefeitura disse que foi protocolado um pedido da Secretaria Municipal de Sa&uacute;de na ordem de 2 mil doses de tr&iacute;plice viral, mas o Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de s&oacute; enviou 200 doses para Aragua&iacute;na neste m&ecirc;s.<br /> <br /> Ainda conforme a prefeitura, essa vacina n&atilde;o pode ser comprada pelo munic&iacute;pio e orientou que as pessoas liguem para 3411-0753 e perguntem quais UBSs ainda t&ecirc;m vacinas.&nbsp; A tend&ecirc;ncia &eacute; normalizar no pr&oacute;ximo m&ecirc;s, segundo as explica&ccedil;&otilde;es.<br /> <br /> O que nos resta, portanto, a n&atilde;o ser esperar?</span></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.