Educação

Escola mantém aulas de forma virtual desde o início da pandemia e faz sucesso no Tocantins

Escola Comunitária de Augustinópolis adaptou-se imediatamente à nova realidade.

Por Redação 1.633
Comentários (0)

13/06/2020 13h04 - Atualizado há 3 anos
Escola utiliza vários recursos tecnológicos para garantir o direito à educação

O ano de 2020 trouxe um desafio inesperado e a população mundial precisou readaptar-se, encontrar novas maneiras de viver, conviver e interagir, tudo isso devido á pandemia do cronavírus, doença de fácil transmissão e alta letalidade.

Na região do Bico do Papagaio, a Escola Comunitária de Augustinópolis (Esca) adaptou-se imediatamente para assegurar o direito à educação mesmo em tempos de coronavírus.

Segundo a escola, a equipe gestora e docentes, juntamente com a comunidade escolar, mantiveram a filosofia colaborativa e o espírito comunitário da instituição, trabalhando através de um modelo de educação remota, com aulas à distância.

“Nosso objetivo foi manter esse elo de ensino e aprendizado, garantindo o compromisso feito à comunidade escolar, oferecendo aulas a todos os alunos que ali estudam desde o início da quarentena (16 de março). Desse modo, diminui-se o impacto negativo na aprendizagem”, disse Maria Lúcia Paulino Silva Sousa.

A gestora informou ainda que a nova forma de ensino tornou menos difícil esse período de confinamento. “Nossas crianças tem assim um melhor aproveitamento do tempo em casa (junto com a família) para as atividades intelectuais, com produtividade adequada ao modelo de aulas realizadas virtualmente”.

Entre as estratégias utilizadas pela escola para a realização de atividades a distância, a escola usou de ferramentas como o WhatsApp web, Google Classroom, Google Meet e Hangouts. “Estamos, nesse momento buscando amenizar, ao máximo, os possíveis danos ao ambiente educacional, proporcionando que todos tenham acesso as aulas e façam suas atividades, interagindo com os professores e colegas de turma”, afirmou a gestora.

A escola ressaltou que o trabalho desenvolvido no período da quarentena conta com a utilização das ferramentas virtuais e a tecnologia que estão disponíveis e são de fácil acesso para finalidades de aprendizagem, o que é um fator positivo, tornando o uso da tecnologia proveitoso e útil, uma vez que as crianças estão muito bem conectadas com essa contemporaneidade.

Nesse processo, as famílias tem demonstrado compromisso e colaboram com a aprendizagem dos filhos. Alguns que não tem equipamento vão à escola, com horário agendado, uma vez na semana pegar o material impresso e levam junto os vídeos das aulas gravadas.

As séries referente a educação infantil, além de aulas gravadas, contam também com chamadas de vídeo em grupo e histórias infantis com animação, tudo com o objetivo de oferecer ao nosso aluno o desenvolvimento da sua aprendizagem. 

Conforme a escola, há uma participação em torno de 98% dos alunos nas aulas. A qualidade das aulas é um diferencial, segundo a direção. Por exemplo, uma família que se mudou recentemente para outro estado preferiu manter a filha vinculada à ESCA, realizando as aulas virtualmente.

“Reafirmamos nosso compromisso e responsabilidade com o aprendizado e, quando retornarmos às aulas presenciais, faremos um diagnóstico da aprendizagem para sistematizar o aprendizado obtido nesse período e fazer as necessárias intervenções”, destacou a coordenadora pedagógica, Professora Joana de Souza Silva, falando também que é preciso oferecer situações produtivas, orientar uma rotina onde o aluno sinta que continua aprendendo, interagindo com os colegas e com os seus professores. “Nosso compromisso com a educação é uma premissa da nossa existência”.

Escola Comunitária de Augustinópolis (Esca). Foto tirada antes da pandemia

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.