Alvos de operação

Ex-vereador de Araguaína e segurança são alvos de operação contra fantasmas na Assembleia

A operação cumpriu mandados de busca e apreensão de documentos e computadores.

Por Redação 6.086
Comentários (0)

20/09/2019 11h18 - Atualizado há 3 semanas
Operação da Polícia Civil

Agentes da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC de Araguaína) cumpriram, na manhã desta sexta-feira (20), mandados de busca e apreensão de documentos, computadores e demais dispositivos eletrônicos na residência de dois assessores parlamentares de deputados com base eleitoral na cidade.

A suspeita da Polícia Civil é que os dois recebiam salários, mas não exerciam as funções administrativas referentes ao cargo.

Segundo o delegado Bruno Boaventura, durante as investigações foi identificado que os dois assessores não cumpriam agenda de trabalho de acordo com a lotação a que foram nomeados.

Um deles, Daniel Batista Costa, lotado no gabinete de Olyntho Neto desde 2016, atua no município como segurança em estabelecimentos comerciais, porém, recebe da Assembleia Legislativa salário bruto de R$ 3,8 mil.

Já o segundo investigado, Marco Aurélio Santana (Baldão), que já foi vereador em Araguaína e que atua atualmente como comerciante, recebe salário de R$ 3.350,00 desde 2015. Ele está lotado no gabinete do deputado Jorge Frederico.

Em ambos os casos, os suspeitos não conseguiram provar que exercem atividade de assessoramento parlamentar. Em uma das residências, encontramos um documento semelhante a um relatório de atividades a ser encaminhado à Assembleia Legislativa, porém o documento estava em branco”, ressaltou o delegado.

Ainda de acordo com Bruno Boaventura, com base na análise dos documentos e dispositivos eletrônicos apreendidos, os suspeitos serão, posteriormente, intimados a depor no inquérito policial.

As investigações fazem parte da Operação Catarse, que investiga supostas contratações de servidores no Executivo e Legislativo do Estado sem a devida comprovação de atividades públicas.

O OUTRO LADO

Em nota, o deputado Olyntho Neto (PSDB) afirmou que não tem em sua estrutura nenhum funcionário fantasma. Segundo ele, todos os servidores que prestam serviço ao gabinete e à população do Estado do Tocantins o fazem em conformidade com a legislação e a regulamentação vigente.

"O parlamentar afirma que confia e respeita  o Poder Judiciário e por isso, não comenta  ações que tramitam em segredo de justiça", finaliza a nota.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.