Palestrante barrada

Faculdade Católica pode ser denunciada ao Conselho Federal de Psicologia e MEC

Por Redação AF
Comentários (0)

20/04/2017 12h10 - Atualizado há 1 mês
Dezenas de acadêmicos do curso de Psicologia da Faculdade Católica Dom Orione de Araguaína realizaram, na noite desta quarta-feira (19), uma manifestação contra o veto da instituição à participação da palestrante Valeska Zanello, professora doutora da UnB, no "I Encontro de Psicologia Saúde Mental e Gênero – Novos Tempos, Velhos Paradigmas". O Conselho Regional de Psicologia manifestou apoio aos estudantes por tratar-se de "militância contra interferências da religião na ciência psicológica". "Temos o entendimento de que a militância também contribui de forma significativa para a formação profissional e parabenizamos todas as pessoas envolvidas neste movimento", disse o CRP. Em nota, o Conselho afirmou que a censura pública de temas que são essenciais para a formação do psicólogo é extremamente prejudicial para a qualidade da formação profissional. "Entendemos que a discussão de temas essenciais para o desenvolvimento das políticas públicas e a efetivação dos direitos e garantias fundamentais não configuram qualquer tipo de apologia, e que qualquer movimento contrário à liberdade de opinião e de pensamento coloca em sério risco a garantia da psicologia como ciência e profissão no Brasil", explica o Conselho. Após a repercussão da negativa da Faculdade, o Núcleo de Estudos, Pesquisas e Extensão em Sexualidade, Corporalidades e Direitos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e NUAmac – Núcleo Aplicado de Minorias e Ações Coletivas da Defensoria Pública da DPE-TO – Defensoria Pública do Estado do Tocantins também emitiram nota desfavorável ao posicionamento da instituição. "Estamos tomando todas as medidas cabíveis para este caso e acompanhando diariamente a situação. Estamos em contato direto com a equipe docente e já solicitamos uma reunião emergencial com a direção do campus para tratar do assunto, após essa reunião, caso seja necessário, encaminharemos denúncia ao MEC e ao Conselho Federal de Psicologia", explica o presidente do CRP-23. Religião O Conselho afirmou que compactua com o Posicionamento do Sistema Conselhos de Psicologia para a Questão da Psicologia, Religião e Espiritualidade, reconhecendo “a importância da religião, da religiosidade e da espiritualidade na constituição de subjetividades”, contudo “somos terminantemente contrários a qualquer tentativa fundamentalista de imposição de dogma religioso, seja ele qual for, sobre o Estado, a Ciência e a profissão e, a qualquer forma de conhecimento que procure naturalizar a desigualdade social, a pobreza ou o cerceamento dos direitos constitucionais. Por isso, não pouparemos esforços para garantir o estado de direito e as instituições democráticas, compreendendo ser essa a condição sine qua non para a manutenção e o desenvolvimento da saúde psicossocial da população brasileira, base para um processo saudável de subjetivação”.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.