Vistoria

Faltam testes de Covid e dezenas de medicamentos nas UPAs de Palmas, aponta MPTO

Estrutura da UPA Sul também carece de reforma e pintura.

Por Redação
Comentários (0)

19/01/2022 14h16 - Atualizado há 3 meses
Vistoria realizada pelo promotor de Justiça Thiago Ribeiro Vilela

Membros do Ministério Público do Tocantins (MPTO) realizaram uma vistoria nas Unidades de Pronto Atendimento Sul e Norte (UPA Sul e UPA Norte) de Palmas e verificaram a falta de medicamentos e a necessidade de instalar uma Unidade Sentinela para atender os pacientes com Covid-19 e com síndromes respiratórios e gripais. 

A vistoria foi coordenada pelo promotor de Justiça Thiago Ribeiro Vilela, da 19ª Promotoria de Justiça, que atua na área da saúde pública, na última segunda-feira (17).

UPA Sul

Durante a inspeção na UPA Sul, foi constatada a falta de estrutura física do prédio, que carece de reforma e pintura, bem como a ausência de diversos medicamentos. Entre os fármacos listados estão ácido ascórbico 100 mg/ml, ácido tranexâmico, bicarbonato de sódio, ceftriaxona sódica, dexametasona, dimenidrinato, piridoxina, fenitoína, furosemida, glicerol, hidralazina, hidrocortisona, omeprazol, piperacilina, salbutamol, tenoxican, terbulatina e também testes para detecção da Covid-19;

Ainda foi observado que o número de fisioterapeutas não é suficiente para atender a população, sendo necessária a contratação do profissional para auxiliar os pacientes que realizam tratamento de reabilitação na unidade.

Upa Norte

No local foi verificada a falta de 21 medicamentos como ácido ascórbico, betametasona, bicarbonato de sódio, carvão vegetal, ceftriaxona, dexametasona, dopamina, fenitoína, fitomenadiona, furosemida, glicerol, hidralazina, hidrocortisona, lidocaína, omeprazol, neomicina, salbutamol, tenoxicam, amoxicilina, cefalexina e dipirona sódica timolol.

Na ocasião, os servidores apontaram a urgência na instalação de uma Unidade Sentinela, exclusiva para atender os pacientes com sintomas de Covid-19 e síndromes gripais, pois a procura por atendimento para esses casos está causando superlotação e comprometendo a oferta de tratamento aos pacientes internados com quadros graves nas demais unidades de saúde do Município.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.