Após longa espera

Governador do Tocantins promove quase 650 policiais militares e pede desculpas

'Estamos corrigindo esses erros do passado', frisou.

Por Redação 1.970
Comentários (0)

20/04/2023 17h41 - Atualizado há 11 meses
Governador Wanderlei durante solenidade

O governador Wanderlei Barbosa concedeu promoção por critério de escolha, antiguidade e de merecimento para 648 oficiais e praças da Polícia Militar do Tocantins (PMTO) nesta quinta-feira (20).

Wanderlei afirmou que as promoções já deveriam ter acontecido há mais de 15 anos. “Estamos corrigindo esses erros do passado, parabenizo pela persistência e pedimos desculpas por aqueles que erraram, quando os senhores deveriam ser promovidos a cada quatro anos e ficaram até 15 anos sem essa promoção”, disse. 

O chefe do Executivo Estadual também reconheceu a PMTO como uma instituição honrada e de grande importância para a sociedade tocantinense ao citar a operação ‘Canguçu’, que vem acontecendo há duas semanas nas mediações entre Tocantins e Mato Grosso.

Depositamos toda a nossa confiança nas nossas forças de segurança. Quando saímos de casa, qualquer situação difícil que encontramos, lembramos do 190 para nos socorrer”, afirmou.

PM também prestou homenagens a oficiais e civis por serviços prestados à sociedade

Oito anos sendo tenente-coronel, o agora coronel Flávio Santos Brito fez o Curso Superior de Polícia pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás há dois anos e, desde então, aguardava sua promoção.

“Estou muito feliz e honrado por ter sido indicado, escolhido pelo governador, Wanderlei Barbosa, pelo vice-governador, Laurez Moreira, e pelo nosso comandante. A promoção ao posto de coronel, que é o último da carreira militar, sempre é um motivo de muito orgulho e muita honra. Minha família também está muito feliz e agradecida. Eu espero poder corresponder e contribuir com o crescimento da corporação da PM e do Estado do Tocantins”, afirmou.

Condecorações especiais

Além das promoções, a Polícia Militar também prestou homenagens a oficiais e civis por serviços prestados à sociedade. Na ocasião, foram distribuídas as Medalhas Tiradentes; do Mérito Policial Militar; Intelectual; e de Tempo de Serviço.

“Hoje, foi um dia muito importante, em que o Governo do Tocantins e a sua Polícia Militar condecoraram pessoas que prestaram e prestam serviços importantes para o Estado, promovendo aqueles bons policiais que já têm uma história de trabalho em prol da comunidade”, citou o vice-governador do Tocantins, Laurez Moreira.

Representando o seu marido, coronel Francinaldo Machado Bó, da PMTO; e o seu irmão, tenente-coronel Gleidistone Gomes Cavalcanti da Silva, comandante do Regimento de Polícia Montada (RPMONT) da cavalaria do Estado da Paraíba, a servidora civil da PMTO, enfermeira Gleidistania Gomes Cavalcanti Bó recebeu a Medalha Tiradentes em nome dos dois.

“Sinto muito orgulho, pois sei que ambos prestam um excelente serviço à Polícia Militar. É tanto que meu marido está em campo, comandando a operação Canguçu de combate à criminalidade. Nós estamos aqui homenageando, também, e muito felizes com esse reconhecimento”, concluiu.

A Medalha Tiradentes é concedida a todas as autoridades civis, militares e eclesiásticas que tenham prestado relevantes serviços ao Estado ou, em especial, à corporação ou a seu interesse.

Já a Medalha do Mérito Policial Militar é concedida a todos os militares que, no desempenho da função, tenham prestado relevantes serviços à PMTO ou praticado atos de bravura, visando à preservação da ordem pública, à defesa das instituições ou ao salvamento de vidas humanas.

A Medalha do Mérito Intelectual é concedida ao militar que houver obtido o primeiro lugar ao término dos cursos de aperfeiçoamento de oficiais, formação de oficiais, aperfeiçoamento de sargentos e formação de sargentos.

Por fim, a Medalha de Tempo de Serviço destina-se a recompensar os bons serviços prestados pelos oficiais e praças da corporação em serviço ativo por 10, 20 e 30 anos.

Formatura do CAO

Outra solenidade realizada na manhã desta quinta-feira (20) foi a formatura do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO), que teve duração de seis meses. Ao todo, foram formados 71 capitães, sendo 40 do Tocantins; 15 do Rio de Janeiro; 8 do Rio Grande do Sul; 7 do Piauí; e 1 da Bahia. Após esta formatura, todos eles estão aptos a serem promovidos para Major.

O capitão Marcos Araújo, lotado na Polícia Militar do Rio de Janeiro há 17 anos, falou sobre a importância de se ter este intercâmbio de conhecimento entre as Unidades Federativas.

O Brasil, que é um país tão grande, com muitas diferenças tanto no clima, nas cidades, na segurança pública e na violência, é de crucial importância que a PM de um estado visite o outro e conheça outros tipos de expertise, de modelo de policiamento implantado para que possamos também implantar no RJ. Nessa experiência, a gente traz, também, algumas ideias novas para enriquecer o trabalho das outras polícias do Brasil”, afirmou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.