Entrevista

Governo sabe que terá muitos ataques, diz secretário ao comentar 'decisões duras'

Segundo ele, a reforma trará economia, modernização e qualidade no atendimento ao cidadão.

Por Nielcem Fernandes 2.049
Comentários (0)

15/01/2019 11h44 - Atualizado há 2 anos
João Neto - Secretário de Comunicação do Estado do Tocantins

O secretário de Estado da Comunicação, João Neto, falou ao AF Notícias sobre a reforma administrativa no Governo do Tocantins que está prestes a ser publicada por meio de Medida Provisória (MP), cujo texto está em fase final de revisão.

O secretário confirmou que a reestruturação contará com apenas 12 secretarias setoriais e a Governadoria, conforme adiantado pela equipe no dia 1º de janeiro.

A possibilidade de terceirização de alguns serviços também é cogitada. "Se necessário, sim. A prioridade são os concursados ocuparem suas atividades", disse.

Indicações políticas

Já sobre as indicações políticas, tão comuns na administração pública, o secretário afirmou que todas as nomeações devem seguir a regra de economia e eficiência.

"As indicações políticas devem seguir a mesma regra. Economicidade seguida de eficiência. Caso contrário não será aceito. O cidadão está em primeiro lugar. Determinação do governador Mauro Carlesse”, explicou.

Recontratações na saúde, SSP e Educação

Fontes do AF Notícias afirmaram que é possível que sejam recontratados todos os servidores da Saúde, Segurança Pública e Educação, exonerados no início do ano. O secretário garantiu que as pastas são prioritárias no Governo, mas não é possível generalizar as recontratações.

“O objetivo é a economicidade e modernização da máquina pública. Para isso serão mantidos 50% dos contratos temporários e 30% dos comissionados. A saúde tem prioridade, bem como segurança pública e educação”, declarou.

De acordo com o secretário, a reforma trará além de economicidade e modernização, mais qualidade no atendimento ao cidadão. "Com a criação das macrorregiões pretendemos modernizar a qualidade do atendimento da máquina pública. As fusões necessárias serão feitas de acordo com a necessidade e com foco no cidadão”, pontuou.

Extinção da Redesat

Um dos pontos polêmicos da reforma anunciada pelo Governo foi a extinção da Fundação Redesat, que será incorporada à Universidade Estadual do Tocantins (Unitins). A medida gerou protesto dos servidores e do meio artístico-cultural.

Questionado a respeito dessa integração, o secretário explicou que tal medida visa garantir investimentos na área da comunicação e avanço tecnológico. "Ambas têm concessões de TV e rádio. O governo quer que ela cumpra seu papel de valorizar a informação, a cultura e a educação. Essa fusão vai possibilitar investimentos e maior avanço tecnológico e economizar dinheiro Estadual", explicou.

Problemas financeiros

O secretário afirmou também que os problemas financeiros vivenciados no Estado não são frutos da atual gestão. Segundo ele, o governo está dando prioridade ao cidadão e as atuais decisões, apesar de duras, irão propiciar o desenvolvimento do Estado.

Um governo que se propõe a olhar o cidadão provocando o amargo de decisões duras sabe que terá muitos ataques, mas terá em breve um Estado focado no desenvolvimento. O governador Mauro Carlesse sabe que somente o fortalecimento da iniciativa privada e o olhar no desenvolvimento do Tocantins irão transformar o futuro do melhor Estado, geograficamente posicionado para crescer", finalizou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.