Tragédia anunciada

Iminente colapso de barragem atingirá 47 famílias no Tocantins; MPF aciona Justiça

As condições de segurança dessa barragem são acompanhadas pelo MPF desde 2016.

Por Redação 3.036
Comentários (0)

11/04/2019 14h35 - Atualizado há 5 anos
MPF no Tocantins

O Ministério Público Federal (MPF) propôs uma ação judicial contra o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a União para a realização emergencial da obra de reconstrução da barragem no Projeto de Assentamento Destilaria (PA Destilaria), situado nos municípios de Darcinópolis e Palmeiras do Tocantins.

As condições de segurança dessa barragem são acompanhadas pelo MPF desde 2016, quando foi instaurado inquérito civil para apurar a regular aplicação dos recursos federais repassados para a execução de obras na estrutura.

Na época, a obra estava há mais de 08 anos sem qualquer intervenção e apresentava uma fissura de aproximadamente 40 metros. Desde então, alguns reparos paliativos foram feitos, mas não se mostraram suficientes para sanar o risco de rompimento.

Em 2018, mais uma ação de manutenção foi realizada, com o reaterro de erosões, além da execução de serviços de roçagem da vegetação e de corte de árvores. Mas, segundo estudos técnicos do próprio Incra, a única medida apta a sanar definitivamente o risco de colapso da estrutura é a reconstrução da barragem.

Segundo o MPF, um possível rompimento da barragem cola em perigo a vida de 47 famílias que residem no PA Destilaria, bem como a seu patrimônio e aos bens públicos ali existentes.

Desse modo, o MPF requereu na Justiça que o Incra e a União promovam a reconstrução da barragem do Projeto de Assentamento Destilaria, com início das obras no prazo máximo de 90 dias, sob pena de imposição de multa no valor de R$ 10 mil por dia de descumprimento.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.