'Incita ódio'

Manifestação promete 'queimar feministas nojentas' em Araguaína; DPE vai à justiça

Para o defensor público Sandro Ferreira, a frase se aproxima dos períodos mais cruéis de nossa história, como holocausto e inquisição.

Por Redação 16.045
Comentários (0)

11/10/2018 10h34 - Atualizado há 1 semana
Evento iria ocorrer em Araguaína

A Defensoria Pública do Tocantins recorreu à Justiça Eleitoral para adequar a abordagem de uma manifestação prevista para ocorrer nesta quinta-feira (11), em Araguaína, denominada de ‘queima ao vivo’.

Para o defensor público Sandro Ferreira, autor do pedido, o evento público incita a violência e preconceito.

O pedido da DPE visa a tomada de providências necessárias para inibir práticas ilegais. O órgão frisou que não se trata de proibição da manifestação, mas de veto ao uso de palavras de estímulo à violência contra pessoas, de preconceito e ódio.

A convocação para o ato circula nas redes sociais e traz a imagem de uma fogueira com as inscrições ‘Queima ao Vivo’. No post, o autor da publicação acrescenta que o objetivo do evento é ‘queimar’, entre outras coisas e pessoas, ‘as feministas doentes’. 

Para o defensor público, o evento gera extrema preocupação quanto aos desdobramentos de uma reunião convocada com um alarde grotesco de violência e representa um atentado à paz e à democracia.

O nome dá ensejo a pensar na organização de uma fogueira pública ou outra ação similar, já que não se sabe qual o sentido da expressão ‘queima ao vivo’. A convocação para ‘queimar as feministas doentes’ é uma frase inimaginável num Estado de Direito e se aproxima dos períodos mais cruéis de nossa história, como holocausto e inquisição”, destacou Sandro Ferreira.   

O pedido fundamenta-se no Código Eleitoral, que proíbe, no artigo 243, publicidade de processos violentos, de incitamento de atentado contra pessoa. Há previsão semelhante no Código Penal, no artigo 286, por incitar, publicamente, a prática de crime.

Convocação da manifestação

Comentários (0)

Mais Notícias

Rota do Ouro

Polícia Federal investiga mercado ilegal do ouro no Tocantins e fecha garimpo

O ouro extraído de forma ilegal tem como destino São Paulo e o exterior.

De olho nas oportunidades

Vagas temporárias: qual o perfil das pessoas a serem contratadas no Tocantins?

50% dos comerciantes preferem contratar mulheres para ocuparem os cargos.

Danos morais

Empresas são condenadas por negativar nome de mulher falecida no Tocantins

A suspensão das cobranças deveria ter sido feita logo após o óbito por conta de seguro.

Profissões

Top 20: Profissões que mais avançaram nos últimos anos e outras que sumiram

Nas que mais avançaram, há uma predominância de atividades voltadas para a saúde.

Oportunidades

230 vagas de emprego para Palmas, Araguaína e mais sete cidades do Tocantins

As cidades que têm mais vagas disponíveis são Araguaína, com 64, Palmas, 56, e Taquaralto, 26.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.