Preocupação

MEC mantém data do Enem 2021 mesmo após pedido de demissão em massa no INEP

Ao todo, foram 35 servidores que pediram exoneração de seus cargos.

Por Redação
Comentários (0)

09/11/2021 11h27 - Atualizado há 2 meses
Exoneração em massa de funcionários há poucos dias do Enem 2021.

Trinta e cinco funcionários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pediram exoneração nesta segunda-feira (08/11) dos cargos que ocupavam. A prova será realizada nos dias 21 e 28 de novembro, daqui a menos de duas semanas.

Inicialmente, 13 nomes haviam se demitido de suas funções. Ao longo do dia, outros 22 servidores também pediram exoneração.

No pedido de dispensa encaminhado à diretoria do Inep, os servidores justificam a saída pela "fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima" do órgão. Também mencionam episódios de assédio moral, expostos em uma assembleia realizada na quinta-feira (4/11).

Entre os exonerados está Camilla Leite Carnevale Freire, que integrava a coordenação-geral do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), de acordo com informações do Portal da Transparência. Assim como o Enem, essa prova também está prestes a acontecer: será aplicada no próximo domingo (14/11).

MANTIDA PROVA DO ENEM

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) informou que o cronograma de execução do Enem 2021 está mantido e não será afetado pelos pedidos de exoneração de servidores do Inep. Segundo o órgão, as provas do exame já se encontram com a empresa aplicadora, e o instituto está monitorando a situação para garantir a normalidade de sua execução.

OUTRAS DEMISSÕES

A demissão em massa no Inep acontece dias após o pedido de exoneração de dois coordenadores ligados à realização do Enem.

Na sexta-feira (05/11), Eduardo Carvalho e Hélio Junio Rocha Morais, que ocupavam os cargos de coordenador-geral de exames para certificação e coordenador-geral de logística da aplicação, respectivamente, pediram demissão. Procurados pelo g1, eles não quiseram dar declarações públicas.

Em setembro, o então diretor de tecnologia responsável pela versão digital do exame, Daniel Miranda Pontes Rogério, solicitou exoneração de seu cargo. De acordo com o Inep, a decisão partiu de Rogério, que alegou "motivos pessoais".

COBRANÇAS AO MEC

Em nota divulgada nesta segunda-feira, a Associação dos Servidores do Inep (Assinep) lamentou "profundamente" que o instituto tenha "chegado a esse ponto".

Afirmou ainda que os demais servidores que continuam no Inep vão seguir trabalhando para que as demandas do órgão sejam cumpridas, mas cobrou uma "atuação urgente" do MEC e do governo federal para resolver a questão.

(As informações são do G1)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.