MP de Goiás estuda impedir Caldas Country de 2013 após atos de vandalismo e sexo explícito

Por Redação AF
Comentários (0)

22/11/2012 16h27 - Atualizado há 1 mês
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;">O Minist&eacute;rio P&uacute;blico de Goi&aacute;s vai investigar as den&uacute;ncias de uma s&eacute;rie de vandalismos ocorridos em Caldas Novas durante o &uacute;ltimo fim de semana, quando ocorreu o 7&ordm; Caldas Country Show. Entre as medidas estudadas, est&atilde;o o impedimento da realiza&ccedil;&atilde;o da festa no ano que vem.<br /> <br /> O promotor da 5&ordf; Promotoria de Justi&ccedil;a da cidade, Pedro Eug&ecirc;nio Beltrame Benatti, afirmou que ser&aacute; ajuizada uma a&ccedil;&atilde;o nos pr&oacute;ximos dias para suspender a venda antecipada dos ingressos dos shows de 2013.&quot;O Minist&eacute;rio P&uacute;blico vai colher dados e estat&iacute;sticas para saber os crimes ocorridos, quem deixou de fazer o que e se a cidade pode receber o evento&quot;, disse ele.<br /> <br /> &quot;J&aacute; requisitamos a apura&ccedil;&atilde;o das fotos que est&atilde;o na m&iacute;dia e a providenciaremos a puni&ccedil;&atilde;o dos respons&aacute;veis pelos excessos. Sexo expl&iacute;cito &eacute; ato obsceno. Subir em um posto &eacute; dano ao patrim&ocirc;nio p&uacute;blico. &Eacute; a imagem do descaso. Foi o que mais chocou o MP. Passa a sensa&ccedil;&atilde;o de que Caldas Novas &eacute; uma cidade sem lei&quot;, ressaltou Benatti.<br /> <br /> O assassinato de duas pessoas, um acidente de carro com a morte de um jovem de 18 anos, sexo expl&iacute;cito no meio da rua, uma ambul&acirc;ncia invadida, um carro incendiado por um grupo de rapazes e foli&otilde;es pulando em cima de um posto da Pol&iacute;cia Militar foram parte das a&ccedil;&otilde;es que abalaram a cidade de 70 mil habitantes.<br /> <br /> Todos os crimes foram filmados ou fotografados por foli&otilde;es indignados. At&eacute; o momento ningu&eacute;m foi punido.<br /> <br /> Segundo um dos organizadores de um dos maiores eventos musicais do Estado, Fernando Clemente, a maior culpa da baderna &eacute; da prefeitura da regi&atilde;o. &quot;N&atilde;o temos responsabilidade com o que acontece l&aacute; fora, apenas com o que ocorre dentro do evento. Em 36 horas de show n&atilde;o tivemos nenhuma ocorr&ecirc;ncia policial&quot;, justificou.<br /> <br /> Clemente admitiu que a quantidade de militares que fazem a seguran&ccedil;a de Caldas Novas n&atilde;o &eacute; capaz de controlar os 70 mil turistas que passaram pela cidade no fim de semana. &quot;Contratamos 136 policiais do Estado com a verba da produ&ccedil;&atilde;o, al&eacute;m de 500 seguran&ccedil;as, corpo m&eacute;dico e brigadista para trabalharem dentro da estrutura&quot;.<br /> <br /> De acordo com a Pol&iacute;cia Militar, 289 homens foram destacados para atuarem nas ruas durante o festival sertanejo.<br /> <br /> A prefeitura de Caldas Novas n&atilde;o atendeu e n&atilde;o retornou &agrave;s liga&ccedil;&otilde;es da reportagem.</span></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.