Tocantins

MPTO cria novo programa de estágio e reserva 40% das vagas para negros e deficientes

Uma outra novidade é a inclusão da vagas para acadêmicos de pós-graduação.

Por Redação
Comentários (0)

08/08/2020 10h11 - Atualizado há 1 mês
Sede do Ministério Público do Tocantins (MPTO)

O Colégio de Procuradores de Justiça do Tocantins (CPJ) instituiu na última quinta-feira (6) um novo regulamento do Programa de Estágio no âmbito do Ministério Público do Tocantins (MPTO).

O texto prevê a inclusão de 30% das vagas oferecidas nas seleções de estágios para candidatos negros, conforme quesito de cor ou raça utilizado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Programa também prevê o percentual mínimo de 10% das vagas oferecidas em cada processo seletivo, para pessoas com deficiência, desde que as atividades de estágio sejam compatíveis com a deficiência. Uma outra novidade é a inclusão da oferta de estágio para acadêmicos de cursos de pós-graduação.

Com a publicação do novo Programa, o Colégio de Procuradores definiu os dispositivos para seleção e supervisão de estudantes interessados em ingressar em estágio supervisionado na Instituição, nas modalidades obrigatório e não obrigatório (com recebimento de bolsa), conforme requisito previsto nos cursos de ensino médio técnico, graduação e pós-graduação de instituições de ensino conveniadas com o Ministério Público.

(Luiz Melchiades)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.