Covid-19

Pandemia avança sobre população indígena no Tocantins; Javaés são os mais afetados

Já foram confirmados 60 casos da doença em três das oito etnias que habitam no Tocantins.

Por Nielcem Fernandes 764
Comentários (0)

29/06/2020 08h35 - Atualizado há 2 semanas
Entre os Javaés já foram confirmados 52 casos de Covid-19

O Tocantins já registrou mais 10 mil casos da covid-19 e o vírus começou a afetar a população indígena no estado.

Neste domingo (28), 92 novos casos da doença foram confirmados apenas em Formoso do Araguaia, na região sul, município que é um dos portais de entrada para a Ilha do Bananal, reduto da etnia Javaé. Ao todo, já foram diagnosticados 167 pacientes positivos em Formoso.

Javaés

Conforme os dados divulgados pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), no último sábado (27), foram confirmados 52 casos de Covid-19 entre a população indígena da região. Outros 17 casos estão sendo investigados, 16 foram descartados e apenas um paciente se recuperou da doença. Nenhum óbito foi registrado entre os indígenas do Tocantins até o momento. Conforme o censo da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), em 2014, a população dos Javaés era de aproximadamente 1.500 indígenas.

Xerentes

A segunda população mais afetada pela pandemia são os Xerentes. A etnia tem sua maior concentração de aldeias no município de Tocantínia, região central do estado. Já são sete casos confirmados de covid-19, quatro suspeitos e 56 descartados. De acordo com os dados da SESAI, em 2013, a população Xerente no Tocantins estava estimada em 3.509 indígenas. O Boletim Epidemiológico da SES contabilizou neste domingo (29), 11 casos da doença no município.

Apinajés

Entre os Apinajés, aldeados no município de Tocantinópolis, região norte do Tocantins, um caso de covid-19 foi confirmado e outro está sendo investigado.

Conforme o último censo da Sesai, divulgado em 2014, a população Apinajé no Tocantins era de 2.277 indígenas. Tocantinópolis já contabiliza 263 casos de pacientes infectados pelo coronavírus, com cinco óbitos.

Para conter o avanço da doença nos Apinajés, um centro de triagem para atender indígenas com suspeita de coronavírus está em funcionamento desde maio. Os indígenas que apresentarem sintomas da doença devem procurar o espaço, que conta com equipes de profissionais especializados da Saúde Municipal e da Sesai.

Segundo a prefeitura, os indígenas Apinajés foram orientados sobre os riscos de ir ao centro da cidade.

Outras Etnias

No Tocantins vivem oito etnias: Karajá, Xambioá, Javaé, Xerente, Krahô, Krahô Kanela, Apinajé e Avá-Canoeiro. Esses povos estão situados em diferentes regiões do estado nas terras indígenas oficialmente demarcadas. Nenhum caso foi registrado nesses demais povos.

Dsei

O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) é a unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS). Trata-se de um modelo de organização de serviços – orientado para um espaço etno-cultural dinâmico, geográfico, populacional e administrativo bem delimitado –, que contempla um conjunto de atividades técnicas, visando medidas racionalizadas e qualificadas de atenção à saúde, promovendo a reordenação da rede de saúde e das práticas sanitárias e desenvolvendo atividades administrativo-gerenciais necessárias à prestação da assistência, com o Controle Social.

No Brasil, são 34 DSEIs divididos estrategicamente por critérios territoriais e não, necessariamente, por estados, tendo como base a ocupação geográfica das comunidades indígenas. Além dos DSEIs, a estrutura de atendimento conta com postos de saúde, com os Polos base e as Casas de Saúde Indígena (Casais).

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.