Turismo

Parque do Cantão: santuário do ecoturismo no Tocantins com belezas praticamente intocadas

O Parque Estadual do Cantão possui pouco mais de 90 mil hectares e 833 lagos de várias dimensões.

Por Redação
Comentários (0)

11/07/2019 16h41 - Atualizado há 6 dias
egião do Cantão possui cerca de 500 espécies de aves

Quando cessa a chuva e os rios começam a baixar, o Estado do Tocantins revela uma de suas maiores riquezas: as praias dos rios Araguaia e Tocantins, que são tomadas pelos veranistas especialmente no mês de julho.

Mas este período também abre portas para outras belezas praticamente intocadas. Uma delas é o Parque Estadual do Cantão, um santuário para os amantes do ecoturismo.

O parque é a atração principal do município de Pium, a 135 km de Palmas, porém seu portal de entrada mais popular fica em Caseara, distante 260 km da Capital.

Ali, é possível fazer passeios em voadeiras (pequenos barcos a motor), acompanhados por guias turísticos que apresentam boa parte de seus 156 km de lagos navegáveis, em especial o Lago Casé, além de fazer a pé trilhas ecológicas. O lago foi batizado com o nome de um comerciante que se instalou na região e que também acabou dando seu nome à cidade de Caseara, fundindo Casé e Araguaia.

Quem tirar alguns dias para visitar a região, famosa por suas praias, também poderá optar por subir em uma das voadeiras e se deslumbrar com a observação de várias das cerca de 500 aves comuns na região, como garças, biguatingas, biguás (mergulhões), periquitos, papagaios, tucanos e gaviões.

O Parque Estadual do Cantão possui pouco mais de 90 mil hectares e 833 lagos de várias dimensões, sendo alguns permanentes e outros presentes somente durante a seca, quando os rios chegam a baixar até sete metros.

Lagos que ficam isolados durante meses tornam-se verdadeiros convites à pesca, que só é permitida em alguns pontos, na modalidade pesque e solte. São pelo menos 44 espécies catalogadas, muitas delas de grande valor comercial, como o tucunaré, o pirarucu e a pirarara.

Ao longo do passeio também é possível observar animais da região, como ariranhas, jacarés e, com alguma sorte, até onças, sem contar a vegetação local, pois esta é uma área de transição com elementos do Cerrado, da Floresta Amazônica, que se intensifica a Oeste, na fronteira com o Pará e do Pantanal.

Nas margens dos lagos e rios é possível distinguir claramente áreas intocadas das que já convivem com a presença humana, sofreram desmatamento e estão em recuperação nos últimos anos graças ao deslocamento dos antigos moradores da região do Parque, criado em 1998.

Roteiro

A Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc) trabalha a divulgação da região por meio do roteiro Lagos e Praias do Cantão, que compreende os municípios de Araguacema, Caseara, Pium e Marianópolis.

A região de Araguacema, a 280 km da Capital, apresenta praias e ilhas desertas, com pontos de pesca nos rios Araguaia, Piranha e Caiapó, além da opção pelos esportes náuticos. Sua estrutura conta com hotéis, restaurantes, condutores de turismo. A Praia da Gaivota é a mais movimentada. As praias do Meio, Camaleão e da Madalena são opções para quem vai acampar.

Já Caseara tem como atrações principais as praias e a entrada para o Parque Estadual do Cantão. A cidade possui bons hotéis e restaurantes, além da estrutura montada na praia.

Caseara é uma grande referência para a região e tem fácil acesso, com estrada boa e pousadas de qualidade”, aponta o empresário Leonardo Azevedo.

Sua empresa, a CCTrekking, oferece passeios de ecoturismo partindo de Palmas todas as segundas e quintas, a partir de uma pessoa. “Desenvolvemos esses passeios dentro do Parque do Cantão, onde só se pode entrar com autorização, com o objetivo de fazer caminhadas, observar aves e fauna”, relata.

No Cantão, as trilhas podem ser percorridas a pé ou pelos lagos

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.