Morgana Macena

Pastora do Ministério de Damares Alves foi mesmo indicada ao Nobel da Paz?

Segundo a ATM, a pastora estaria no Tocantins na manhã desta quarta-feira, 03.

Por Redação
Comentários (0)

03/04/2019 11h36 - Atualizado há 2 semanas
Pastora Morgana Macena

A diretora do Ministério da Família, Mulher e dos Direitos Humanos (MFMDH), pastora Morgana Macena, esteve no Tocantins nesta quarta-feira (3) para lançar diversas ações na sede da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), que afirmou que ela teria sido indicada pelo Instituto Oslo, da Noruega, ao prêmio Nobel da Paz 2019.

O AF Notícias divulgou a informação da ATM, mas decidiu buscar mais informações sobre a possível indicação. Porém, nas pesquisas realizadas não foi possível confirmar a existência de uma organização chamada "Instituto Oslo", em Oslo, capital da Noruega.

Foi encontrado apenas o “Instituto de Pesquisa para a Paz de Oslo” (PRIO) que afirma em sua página que “o Diretor do PRIO é convidado todos os anos por um número de jornalistas a comentar sobre possíveis candidatos ao Prêmio Nobel da Paz. O parecer do Diretor não confirma ou endossa formalmente as indicações e ele optou por não fazer uso da indicação de candidatos”.

Nas buscas relacionadas ao assunto e ao nome de Morgana, não há nenhuma referência ao PRIO.

Em entrevista ao site maranhense Ciro Nolasco, em janeiro deste ano, Morgana confirmou que teria sido indicada ao Prêmio Nobel.

Segundo ela, a indicação ocorreu por sua ligação com a Duna Ong Corporation, da qual seria embaixadora no Brasil. “Uma mulher, pastora, nordestina, paraibana, com todas as indicações para que nunca seja observada. De repente surge como indicada ao Nobel da Paz. Para mim, foi muito satisfatório”, disse.

Ela chegou a afirmar durante a entrevista que manteve um diálogo com os responsáveis pela “organização” e que questionou o motivo do Brasil nunca ter recebido a premiação.

“E perguntando ao pessoal da organização o motivo de o Brasil nunca ter ganhado uma honraria como esta, eles foram simples e categóricos: ‘Porque o Brasil não apoia os brasileiros’. As pessoas do nosso país não tendem a aplaudir as boas atitudes do nosso povo”, declarou.

Ainda durante a entrevista ao site, a pastora chegou a afirmar que ficou sabendo dessa indicação durante uma viagem que fazia aos Estados Unidos (EUA). “Não estava no Brasil. Recebi o comunicado por telefone. Na verdade pensei que era um trote, não acreditei que era verdade até confirmar. Foi uma grande emoção. Como uma mulher simples, olhamos o prêmio Nobel da Paz pela televisão e aquilo parece que nunca vai chegar ao Brasil e muito menos na Paraíba de onde eu venho”, destacou.

Informações desencontradas

No site do Grupo Duna consta a informação de que a pastora teria sido indicada ao Nobel da Paz e que a proposta seria desenvolvida e redigida pela professora Clarissa Xavier Machado, Vice-Presidente da própria Associação Duna juntamente com o CEO e Project Manager Paulo Fernando de Barros.

Nas pesquisas realizadas também não foi possível identificar quem teria sugerido o nome de Morgana ao prêmio Nobel da Paz. Também não foi possível identificar qual “organização” teria ligado para ela, informando sobre sua indicação.

O AF Notícias solicitou esclarecimentos sobre essas questões à Assessoria de Imprensa do MDH. Até o fechamento da matéria a reportagem não havia sido respondida.

De acordo com as regras do The Nobel Peace Prize (site do Nobel da Paz) sugestões de nomes só podem ser enviadas por: deputados, senadores, ministros, presidentes e premiês de qualquer país do mundo, além de membros da Corte Internacional de Justiça de Haia, professores de algumas disciplinas (como história, ciência política, teologia, entre outras), diretores e reitores universitários, ex-ganhadores do Nobel, membros do atual comitê ou de comitês anteriores e ex-assessores do comitê atual ou de comitês passados.

As indicações para este ano foram encerradas no último dia 31 de março.

Descrição de Morgana

O site do Grupo Dunas também descreve a pastora Morgana como “mulher nordestina, cônjuge, mãe, avó, doutora, ativista dos direitos humanos e da paz e uma pastora cristã, portanto sua mensagem, seus atos e seus discursos sempre serão guiados pela Bíblia Sagrada e pela Declaração dos Direitos Humanos. Mensagens de paz, mas não paz humana, a paz de Deus. Morgana é uma pacificadora, uma pacificadora cristã”.

A ATM também informou que “por mais de duas décadas, Morgana Macena se dedica a defender a infância de centena de milhares de crianças em situações de violência, abusos sexuais, estupro, exploração e tráfico”.

Brasileiros que já foram indicados

Entre os brasileiros que já foram indicados ao Prêmio Nobel da Paz estão: José Maria da Silva Paranhos Júnior (Barão do Rio Branco), Dom Paulo Evaristo Arns, Herbert José de Sousa, Zilda Arns Neumann, Gaetano Brancati Luigi, Maria da Penha Maia Fernandes, Afrânio de Melo Franco, Oswaldo Aranha, Raul Fernandes, Cândido Mariano da Silva Rondon (Marechal Rondon), Josué de Castro, Dom Hélder Câmara, Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier) e Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (Irmã Dulce).

Receberam o Nobel

Personalidades famosas, reconhecidas em todo o mundo, já foram premiadas com a honraria. Entre as mais conhecidas estão Nelson Mandela, Martin Luther King Jr., Madre Teresa de Calcutá, Barack Obama, Malala Yousafzai, Kofi Annan entre outros.

A organização do Prêmio

O AF Notícias também buscou informações no site do Nobel da Paz sobre os nomes que teriam sido sugeridos este ano. Há a divulgação apenas de que 301 candidatos foram indicados para o Prêmio Nobel da Paz de 2019, dos quais 223 são indivíduos e 78 são organizações.

Por uma questão de princípio, e de acordo com os estatutos do Nobel, o Instituto Nobel norueguês nunca pode confirmar, ou não, se alguém foi nomeado para o Prêmio Nobel da Paz até que a lista completa de indicações seja divulgada após 50 anos”, afirma a Organização do Prêmio.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.