PMDB se entrega ao governo, mas fica fora da “reforma administrativa”; em Araguaína o tratamento foi outro

Por Redação AF
Comentários (0)

19/02/2013 12h03 - Atualizado há 3 anos
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;"><u><strong>Arnaldo Filho</strong></u><br /> <em>Portal AF Not&iacute;cias</em><br /> <br /> H&aacute; algum tempo Eduardo Siqueira tem se empenhado num trabalho para esvaziar as lideran&ccedil;as do PMDB estadual e t&ecirc;-lo novamente ao lado do que ficou conhecido como &lsquo;UT&rsquo; (Bloco da Uni&atilde;o do Tocantins).<br /> <br /> O trabalho para desarticular o partido n&atilde;o foi muito dif&iacute;cil, at&eacute; porque fazer oposi&ccedil;&atilde;o requer sangue no olho e muita persist&ecirc;ncia. Dessa forma, Eduardo conseguiu ir al&eacute;m, rachar o partido. Apenas Marcelo Miranda e Carlos Gaguim, juntamente com seus seguidores, ainda n&atilde;o aderiram ao Pal&aacute;cio Araguaia, muito provavelmente por causa do desgaste que isso traria &agrave;s suas imagens, levando-se em considera&ccedil;&atilde;o os embates pol&iacute;ticos que j&aacute; foram travados em outros tempos.<br /> &nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;<br /> A prova de que o trabalho [desde o in&iacute;cio] de Eduardo Siqueira estava dando certo come&ccedil;ou por Aragua&iacute;na quando Jorge Frederico (PSD) abandonou o PMDB em troca de uma cadeira na Assembleia Legislativa. Ap&oacute;s isso, outro cr&iacute;tico ferrenho de Siqueira Campos percebeu que seus ataques e lutas judiciais para arrancar o mandato de Jorge n&atilde;o chegaria a lugar algum. Foi ai que Ricardo Ayres, fiel escudeiro de Marcelo Miranda, tamb&eacute;m foi para a base governista.<br /> <br /> Outra conquista important&iacute;ssima do atual governo &eacute; que o bloco de oposi&ccedil;&atilde;o na Assembleia Legislativa despencou de 15 para apenas 8 parlamentares. Outro dado ainda mais importante &eacute; que dos seis deputados estaduais eleitos pelo PMDB em 2010, apenas Josi Nunes e Eli Borges se mant&eacute;m na oposi&ccedil;&atilde;o. Enquanto Sandoval Cardoso, Vilmar do Detran, Iderval Silva e Jos&eacute; Augusto Pugliesi n&atilde;o resistiram &agrave; tenta&ccedil;&atilde;o do Siquerido.<br /> &nbsp;<br /> Por fim, e n&atilde;o menos importante, Eduardo Siqueira tamb&eacute;m conquistou o chefe do PMDB no Estado, o deputado Federal Junior Coimbra, causando assim uma ruptura de vez no partido. Dessa forma, o que era antes apenas especula&ccedil;&atilde;o, agora &eacute; fato: O PMDB deixou as desaven&ccedil;as e virou governista.<br /> <br /> <u><strong>Reforma administrativa</strong></u><br /> <br /> Mesmo com todas essas ades&otilde;es ainda faltava o &uacute;ltimo detalhe para concretizar a &ldquo;parceria&rdquo; entre PMDB e Governo: o partido almejava tomar posse de alguns cargos e secretarias no Estado. No entanto, o fechamento dessa parceria ficou mesmo s&oacute; na expectativa. Fato &eacute; que Siqueira Campos promoveu aquilo que denominou de &ldquo;reforma administrativa&rdquo; e o PMDB permaneceu fora.<br /> <br /> <strong><u>Aragua&iacute;na e Palmas</u></strong><br /> <br /> Nas duas maiores cidades do Estado, os candidatos governistas nas elei&ccedil;&otilde;es 2012 tiveram como vice, candidatos do PMDB. Em Aragua&iacute;na, Elenil da Penha (PMDB) abriu m&atilde;o de ser candidato a prefeito e comp&ocirc;s com Ronaldo Dimas (PR), mas teve que renunciar no apagar das luzes por problemas com a Justi&ccedil;a. No entanto, teve o privil&eacute;gio de indicar seu ex-assessor Fraduneis Fiomare para a vaga.<br /> <br /> Com a vit&oacute;ria de Dimas, o partido foi o que ganhou mais espa&ccedil;o no governo municipal: ficou com duas secret&aacute;rias, al&eacute;m do vice-prefeito.<br /> <br /> Uma delas &eacute; a importante pasta da Habita&ccedil;&atilde;o, comandada pelo pr&oacute;prio Elenil, e a outra &eacute; a Secretaria de Governo, que est&aacute; com o ex-vereador Gideon Soares. H&aacute; ainda v&aacute;rios peemedebistas ocupando cargos de confian&ccedil;a no governo. No Legislativo araguainense, dois candidatos sa&iacute;ram vitoriosos (Geraldo Silva, ligado tamb&eacute;m a Elenil da Penha, e Ferreirinha, apoiado por Jorge Frederico).<br /> <br /> Com tanto espa&ccedil;o, lideran&ccedil;as do PMDB evitam inclusive comentar sobre o pleito eleitoral de 2014 e falar em quest&otilde;es como &ldquo;oposi&ccedil;&atilde;o&rdquo; futura aos governos [estadual e municipal], ou at&eacute; mesmo relembrar o nome de Marcelo Miranda como candidato ao Pal&aacute;cio Araguaia.<br /> <br /> Por fim, acredito que todo esse trabalho de conquista tem o seu prop&oacute;sito: o de tonar Eduardo Siqueira Campos governador [de direito] do Estado do Tocantins, pois de fato j&aacute; &eacute;.</span></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.