Palmas

Polícia Penal faz buzinaço no Palácio Araguaia, cobra direitos e denuncia perseguições

Segundo os servidores, a Secretaria estaria fazendo perseguições com sindicâncias.

Por Redação 1.537
Comentários (0)

08/07/2020 14h02 - Atualizado há 1 ano
Servidores do Sistema Penitenciário faz manifestação em Palmas

Agentes da Polícia Penal do Tocantins fizeram um buzinaço nas proximidades do Palácio Araguaia, da Assembleia Legislativa e da Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju), na manhã desta quarta-feira (8), para declarar o início da operação batizada de 'Legalidade e Segurança II'.

Conforme os agentes, a operação consiste na suspensão de serviços que colocam em risco a segurança dos policiais penais ou que manifestam qualquer ilegalidade. Os servidores cobram também a aprovação do Estatuto da categoria e criticam perseguições, já que muitos agentes estão respondendo a sindicâncias administrativas. 

"Se o secretário quer calar a boca do Sistema Penitenciário, então pague nossos direitos. O nosso Estatuto já ficou pronto duas vezes, mas esse secretário não tem compromisso e não respeita o Sistema Penitenciário. Se respeitasse nós não estaríamos aqui no sol quente lutando por nossos direitos. Estamos sendo coagidos, amedrontados, mas sindicância não intimida quem tem a vida limpa. É uma tentativa pífia de nos intimidar", desabafou um servidor.

O movimento também criticou a falta de efetivo nas unidades prisionais e de materiais de trabalho. O titular da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) é o advogado Heber Fidelis.

"Não estamos pedindo aumento, estamos apenas pedindo aquilo que a lei garante e o Estado nos deve. Então pague-nos, secretário, pague-nos, Carlesse. A recente lei que proíbe reajustes salariais não retroage a diretos adquiridos, então chega de desculpas", disse o servidor Jenaldo Taveiro.

O presidente da Associação dos Profissionais do Sistema do Sistema Penitenciário do Tocantins (Prosispen/TO) orientou os servidores a não cometerem nenhuma ilegalidade. "Não devemos fazer nada ilegal, nem para favorecer o Estado, nem para prejudicar. Se a lei diz que para cobrar uniformes, tem que fornecer uniformes, então não usaremos, porque o Estado não nos deu", orientou.

"A equipe de Procedimentos Administrativos é muito competente, ela deveria trabalhar nos direitos trabalhistas com a mesma competência. Essa está se tornando uma gestão de perseguição aos servidores, não de reconhecimento de direitos como deveria ser", desabafou um servidor Willian Borges, ao dizer que a Cidadania e Justiça não pode ser a secretaria da injustiça e da perseguição. 

Segundo os Policiais Penais, a operação Legalidade e Segurança II permanecerá nas unidades penais do Estado até que o Governo pague os direitos trabalhistas devidos aos agentes.

VÍDEO DO BUZINAÇO

Vídeo

 

Manifestação em frente à Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju)
Servidores cobram o estatuto da categoria

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.