MPTO

Secretário de Saúde entra na mira do MP por acúmulo indevido de cargos no Tocantins

O MPTO já recomendou ao secretário escolher apenas um cargo.

Por Conteúdo exclusivo AF Notícias 2.192
Comentários (0)

09/04/2021 08h18 - Atualizado há 1 mês
Hospital Regional de Miracema, onde secretário está lotado como enfermeiro

O secretário de Saúde de Miracema, Jonair Oliveira de Souza, entrou na mira do Ministério Público do Tocantins (MPTO) por acumular a função com o cargo efetivo de enfermeiro. A prefeita do município é Camila Fernandes de Araújo (MDB).

Como secretário, Jonair recebe salário bruto de R$ 5 mil, segundo dados do Portal da Transparência do Município. Já como enfermeiro lotado no Hospital Regional de Miracema, ele possui remuneração total de R$ 11.515,14. Contudo, o cargo de secretário requer dedicação exclusiva.

O MPTO instaurou inquérito no dia 30 de março para investigar o caso. A promotora Sterlane de Castro Ferreira afirma no documento que, conforme prevê o artigo 28, parágrafos 1º e 2º, da Lei nº 8.080/90, não é possível o acúmulo do cargo de secretário municipal de Saúde com outra função.

Isso porque, de acordo com Sterlane, o cargo de secretário destina-se ao exercício da função de chefia, direção ou assessoramento e é em regime de tempo integral.

A promotora cita, inclusive, que o entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) é no sentido de que não é possível o exercício de qualquer outra atividade concomitantemente com o cargo de secretário municipal de Saúde.

Para Sterlane de Castro, a atual situação de Jonair Oliveira pode caracterizar, em tese, ato de improbidade administrativa que causa enriquecimento ilícito.

Recomendação

O MPTO também expediu recomendação para que seja realizada a desincompatibilização do secretário de Saúde.

Conforme o documento, Jonair deverá escolher se permanecerá como secretário ou se ficará no cargo de enfermeiro lotado no Hospital Regional de Miracema.

Em caso de o secretário permanecer no exercício de ambas as funções, o MPTO recomenda que a prefeita exonere Jonair do cargo de secretário para que seja “restabelecida a legalidade e constitucionalidade” e não haja necessidade de a justiça ser acionada.  

A portaria de instauração do inquérito e a recomendação do MPTO estão aqui.

Remuneração de Jonair como secretário

Remuneração de Jonair como enfermeiro

 

 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.