Operação

Servidor do INSS recebia propina para fraudar aposentadorias no Tocantins e Pará, diz PF

Apenas com quatro benefícios fraudados, o prejuízo soma meio milhão de reais.

Por Redação 3.395
Comentários (0)

29/01/2021 07h50 - Atualizado há 11 meses
Mandados foram cumpridos em Redenção, no Pará

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (29) a Operação 'En Passant', tendo como objetivo identificar e desarticular um grupo criminoso suspeito de cometer fraudes na concessão de aposentadorias no Tocantins e Pará.

Cerca de 15 agentes cumprem seis mandados judiciais, sendo um de prisão preventiva e 5 mandados de busca e apreensão expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas, todos cumpridos no município de Redenção (PA).

Durante as investigações a Polícia Federal identificou o envolvimento de uma servidora do INSS que concedia aposentadorias de forma irregular mediante recebimento de propina nos municípios de Palmas e Redenção. A servidora foi presa. Ela citava um número de decisão judicial enexistente e gerava direito ao pagamento retroativo. O benefício era concedido sempre no teto máximo.

Foram identificados pelo menos quatro benefícios fraudados que, entre atrasados e parcelas recebidas indevidamente, podem ter gerado um prejuízo em torno de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) ao INSS.

A PF pretende identificar todas as pessoas que tiveram benefícios concedidos de forma ilícita, os quais deverão ser cancelados e os recursos devolvidos ao INSS. Os envolvidos poderão responder pelos crimes de corrupção passiva, corrupção ativa e estelionato majorado, cujas penas somadas, podem chegar a mais de 18 anos de reclusão.

O nome da operação "En passant", que significa “de passagem”, faz referência a rapidez com que os delitos foram identificados e as medidas utilizadas para cessar os crimes.

Apenas quatro fraudes deixaram prejuízo de R$ 500 mil

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.