Plano de carreira

Servidores do Sistema Socioeducativo cobram regulamentação da categoria no Tocantins

A minuta do PCCR está travada na Secretaria da Cidadania e Justiça.

Por Márcia Costa 1.107
Comentários (0)

25/10/2021 19h08 - Atualizado há 1 mês
Servidores cobram regulamentação da Carreira

Servidores efetivos do Sistema Socioeducativo do Tocantins cobram mais celeridade na tramitação do projeto de lei que institui o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da categoria (PCCR). A proposta está travada na na Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju) há mais de 170 dias.

Na semana passada, iniciaram uma série de ações e manifestações com a Assoeto - Associação dos Servidores do Sistema Socioeducativo. Na Seciju, a categoria foi recebida pelo secretário executivo Geraldo Divino Cabral.

Após as tratativas, os servidores seguiram para a Assembleia Legislativa, onde o deputado estadual Elenil da Penha (MDB) firmou o compromisso de levar a demanda até o Governo. A ação terminou no Palácio Araguaia com a participação de pelo menos 40 servidores.

O Sistema Socioeducativo é responsável pela execução das medidas socioeducativas que são aplicadas aos menores infratores.

A presidente da Assoeto, Savya Maranhão Araújo, explicou que servidores do Sistema Socioeducativo exercem função equivalente ao Sistema Prisional, por vezes, internos com o mesmo grau de periculosidade, a diferença é que não tem o mesmo aparato de segurança e reconhecimento por parte do poder público.

“Hoje, esses servidores se encontram no quadro geral do estado que não contempla as peculiaridades da carreira. Com essas ações pretende-se chamar a atenção do Executivo e Legislativo para a valorização e reconhecimento desses pais e mães de família que arriscam suas vidas todos os dias dentro das unidades socioeducativas em prol da sociedade e do Estado”, argumentou.

A regulamentação do plano de carreira da categoria foi autorizada pelo governador afastado Mauro Carlesse, mas a proposta nunca saiu do Excutivo para entrar em discussão na Assembleia Legislativa. 

“Esperamos que o governador em exercício Wanderlei Barbosa se sensibilize com a situação e autorize a celeridade do processo dentro da proposta trabalhada, pois se aproxima o encerramento do ano e já vem recesso na Assembleia, depois período eleitoral e pode comprometer o andamento do processo", afirmou o sindicato.

Servidores estão no quadro geral do Estado, mas não tem direito reconhecidos
Categoria quer agilidade para apreciação da matéria

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.