Vistoria

Servidores relatam entrada de armas e drogas no maior hospital público do Tocantins; MP vistoria local

Relato foi feito ao MPTO durante vistoria. Órgão disse que situação do setor de psiquiatria é alarmante.

Por Redação 1.450
Comentários (0)

07/02/2020 09h39 - Atualizado há 9 meses
Sala do HGP

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) encontrou um cenário alarmante no setor de psiquiatria do maior hospital público do Estado durante vistoria realizada na manhã desta quinta-feira (06).

O promotor de Justiça Thiago Ribeiro, acompanhado de equipe técnica, ouviu relatos de profissionais de saúde e conheceu a estrutura dos 10 leitos disponíveis no setor do Hospital Geral de Palmas (HGP).

Dentre as principais irregularidades apontadas pelo MPTO estão macas em situações precárias, faltas de medicamentos, sujeira no corredor e nos apartamentos, necessidade de separação de pacientes homens e mulheres, limitação do espaço físico e sucateamento de equipamentos, estrutura física e necessidade de servidores do sexo masculino.

FALTA SEGURANÇA

A falta de segurança também é uma preocupação, inclusive, para os profissionais de saúde. Servidores do HGP relataram que é comum encontrar armas brancas e drogas com acompanhantes dos pacientes, uma vez que o hospital não conta com profissionais para garantir a segurança dos internos e profissionais.

Diante da situação, o promotor de Justiça Thiago Ribeiro solicitará, inicialmente, informações junto à Secretaria de Estado da Saúde e, caso necessário, adotará as medidas judiciais cabíveis para a solução das irregularidades. 

O QUE DIZ A SAÚDE

"A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Hospital Geral de Palmas (HGP), informa que em relação à ala de psiquiatria, o hospital conta com um projeto para ampliação e reforma do local para melhoria do espaço, com aumento de 10 leitos, que inclui separação de pacientes por gênero.

A SES esclarece ainda que os equipamentos da ala de psiquiatria estão entrando gradativamente em manutenção por parte da empresa responsável, inclusive as macas. Conjuntamente, o hospital já solicitou a compra de novas unidades.

A ala de psiquiatria dispõe de uma equipe da higienização que realiza limpeza diariamente, no entanto, devido à própria natureza dos internos, há uma demanda elevada neste sentido, comparada à demanda de outras alas na unidade.

A SES informa ainda que a falta de medicamentos é pontual. No que diz respeito aos materiais do setor de hemodinâmica, os mesmos foram licitados, estão no estágio de contrato e dentro dos próximos dias estarão regularizados.

Referente à segurança da unidade, o estudo para contratação de empresa especializada está em fase de adequação ao orçamento da Pasta e em breve entrará na etapa de cotação.

Palmas, 06 de fevereiro de 2020."

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.