Investigação

Show de Henrique e Juliano em Palmas custou até 60% mais caro e MPTO abre inquérito

Show realizado há cerca de um ano custou R$ 200 mil a menos, apurou o Ministério Público.

Por Agnaldo Araujo 2.118
Comentários (0)

27/06/2019 09h40 - Atualizado há 1 ano
Henrique e Juliano

O contrato de R$ 550 mil para o show da dupla sertaneja tocantinense Henrique e Juliano no aniversário de 30 anos de Palmas, no mês passado, está sendo investigado pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO).

Segundo o órgão, diligências preliminares apontaram possíveis indícios de sobrepreço no contrato. O MP apurou que a dupla realizou show há cerca de um ano por R$ 350 mil, ou seja, quase 60% a menos que o valor pago na capital do Tocantins. 

O contrato para o show em Palmas foi feito sem licitação por intermédio da Fundação Cultural de Palmas com a empresa Mistura Louca Produções Artísticas, que detém a representação exclusiva dos cantores. Tudo com o aval da prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB)

Para demonstrar o elevado valor do contrato em Palmas, o MPTO cita que o município de Goianésia (GO) contratou o show dos cantores em 25 de fevereiro deste ano por R$ 415 mil para atividades comemorativas do carnaval. Em julho de 2018, o município de Extrema (MG) contratou o mesmo show por R$ 400 mil.

Outro contrato mais barato apontado pelo MPTO ocorreu em Ouricuri (PE) em 9 de janeiro de 2018. Lá, o show custou R$ 350 mil. 

Além do possível sobrepeço no contrato de mais de meio milhão celebrado pela prefeitura de Palmas, o MPTO busca apurar a legalidade, legitimidade e economicidade da contratação e os responsáveis por possíveis prejuízos aos cofres públicos. 

A investigação ocorre em inquérito instaurado pelo promotor de Justiça Edson Azambuja, da 09ª Promotoria de Justiça da Capital, nesta segunda-feira (24).

No documento, o promotor afirma que a “ausência de pesquisa de preços pode ocasionar contratações em valores superiores aos praticados no mercado por dificultar a formação de proposta pelos pretensos licitantes, o que viola frontalmente o caráter competitivo do procedimento licitatório, além de impedir que a administração pública selecione a proposta mais vantajosa”.

Além disso, segundo ele, após farta e diversificada consulta, a pesquisa de preços obtida deve ser submetida a uma avaliação crítica, especialmente quando se observar uma variação sensível entre os valores alcançados.

OUTRO LADO

Procurada pela reportagem, a prefeitura de Palmas disse que irá se manifestar nos autos assim que for notificada. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.