Sistema carcerário

Todos os presos do Tocantins serão identificados por biometria para facilitar investigações

Cadastro irá detectar presos que estão com identidade falsa.

Por Redação
Comentários (0)

15/09/2020 09h24 - Atualizado há 1 mês
CPP de Palmas

Um acordo de cooperação técnica entre o Governo do Tocantins e a União foi oficializado na tarde desta segunda-feira (14) com o objetivo de identificar e cadastrar biometricamente a população carcerária do Estado no Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais (AFIS) num prazo de 18 meses

Com a assinatura do documento, os participantes do acordo terão um prazo de 30 dias para elaborarem um plano de trabalho. A partir desse plano será possível realizar o cadastramento de 1.554 biometrias na Casa de Prisão Provisória de Palmas; Presídio Barra da Grota, em Araguaína, e Presídio de Ressocialização Social Luz do Amanhã, em Cariri. Posteriormente, será realizado o cadastramento das demais unidades prisionais do Tocantins.

À Superintendência da Polícia Federal caberá disponibilizar uma estação fixa para a coleta de digitais da população carcerária e dois papiloscopistas. A Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO), por sua vez, também disporá de dois papiloscopistas; e a Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju) viabilizará o acesso e à segurança dos papiloscopistas que realizarão a coleta das digitais nos estabelecimentos definidos no acordo.

Banco nacional

Para o secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, a inserção dos dados de identificação biométrica da população carcerária é fundamental para aumentar o grau de certeza nas investigações criminais.

De acordo com ele, esse tipo de identificação permitirá que os inquéritos possam atestar ou afastar dúvidas quanto à autoria de diversos delitos que são investigados. “Um banco nacional de dados biométricos torna o trabalho das polícias muito mais efetivo”, ressaltou.

O superintendente da PF no Tocantins em exercício, Wanderci Aparecido Vieira, destacou a importância da assinatura do termo para as forças de segurança. Segundo ele, será possível cadastrar toda a população carcerária do Estado e com isso resolver casos pendentes de identificação, além de detectar presos que estão no sistema penitenciário com identidade falsa.

O secretário da Cidadania e Justiça, Heber Luis Fidelis Fernandes, ressaltou que o acordo vinha sendo discutido desde o ano passado e que sua oficialização vem ao encontro do planejamento do Governo do Tocantins de ter um sistema prisional mais organizado e uma segurança pública mais eficaz.

Heber Luiz destacou a importância do cadastramento, assinalando que a biometria da população carcerária evitará erros de identificação e colocará um maior número de detentos na cena de crimes ainda não solucionados. 

Acordo assinado

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.