Operação

Suspeitos de aplicar golpe financeiro de R$ 15 milhões são presos no Pará, Amazonas e RJ

Consultores prometiam rentabilidade financeira, mas deixavam as vítimas com elevadas dívidas.

Por Redação
Comentários (0)

11/06/2024 15h16 - Atualizado há 6 dias
Ação desarticulou o grupo criminoso

Notícias do Pará - Quatro suspeitos de aplicarem golpe financeiro no valor de R$ 15 milhões foram presos em Ananindeua, na região metropolitana de Belém (PA), em Manaus (AM) e em São Gonçalo (RJ) nesta terça-feira (11).

Conforme as investigações, ainda no ano de 2022, várias pessoas procuraram a polícia para denunciar a empresa. De acordo com os relatos, os consultores que trabalhavam para ela prometiam uma rentabilidade financeira em troca de investimentos, mas deixavam as vítimas com elevadas dívidas.

"Os vendedores abordavam as pessoas apresentando a empresa como uma intermediadora financeira. A proposta era atrativa: investir os valores repassados pelas vítimas e devolver parte dos lucros, comprometendo-se ainda a arcar com as parcelas dos empréstimos que os clientes fariam junto aos seus bancos", detalhou Walter Resende, delegado-geral da Polícia Civil do Pará. 

Convencidas, as vítimas contratavam empréstimos particulares e repassavam os valores à empresa. No momento do recebimento, os consultores pagavam uma quantia em forma de rentabilidade, mas, quando o cliente optava por não renovar o contrato, eles cessavam os pagamentos, deixando a parcela das dívidas sob a responsabilidade das vítimas. 

"Como resultado disso, muitas pessoas viram-se obrigadas a arcar com as parcelas, que eram muito altas, algumas sendo superiores a R$ 10.000,00, isso comprometia drasticamente suas finanças e qualidade de vida", ressaltou o gestor.

Desta forma, a Polícia Civil do Pará, em parceria com as polícias civis do Amazonas e Rio de Janeiro, atuou de maneira incisiva e conseguiram capturar quatro envolvidos no golpe.  

As investigações revelaram que, além do crime já conhecido, uma das suspeitas também aplicava outra fraude ao pedir que os clientes depositassem os valores em sua conta pessoal. Esse dinheiro não era investido e resultava em prejuízos ainda maiores para as vítimas.

“O sucesso da operação se deu graças ao trabalho integrado das polícias civis. Fica o alerta para população: desconfiem de vantagens exageradas, pois é esse artifício que os golpistas usam para atrair as vítimas", disse o delegado titular da Divisão de Operações Especiais (DIOE), Ricardo Rosário.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.