Biodiversidade

Grãos enviados pelo Brasil devem chegar ainda esse mês ao maior banco de sementes do planeta

O cofre contem amostras de aproximadamente um terço das variedades de alimentos mais importantes do mundo

Por Nielcem Fernandes
Comentários (0)

06/02/2020 16h55 - Atualizado há 2 semanas
Foram enviadas 3.037 acessos de arroz, 87 de milho, 119 de cebola, 132 de pimentas entre outras

Criado em 2008, o Silo Global de Sementes de Svalbard, é o maior banco de sementes do planeta. Ele fica localizado no inóspito arquipélago de Svalbard, na Noruega, onde as temperaturas a baixo de 0° são uma constante durante quase todo o ano.

É no gigantesco bunker que estão armazenadas amostras genéticas de plantas e sementes de várias espécies de alimentos do mundo todo. Atualmente, o banco conta com quase um milhão de amostras. O que segundo a fundação Crop Trust, responsável pela administração do cofre-forte genético, equivale a mais de 13.000 anos de história agrícola. A diversidade de sementes guardadas é imensa e vai de centeio e arroz a cannabis e plantas oriundas da Coreia do Norte.

A Crop Trust garante que o cofre contem amostras de aproximadamente um terço das variedades de alimentos mais importantes do mundo. A fundação afirma que o objetivo principal do banco de sementes é “Proteger a biodiversidade do mundo”. Uma das principais curiosidades a respeito o silo, é que o prédio tem capacidade de permanecer fechado e congelado – preservando as sementes – por mais de 200 anos, garante a fundação.

Embrapa

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Brasília enviou em janeiro desse uma remessa com 3.438 amostras genéticas que farão parte banco. A previsão é de que as sementes sejam depositadas no final de fevereiro.

A pesquisadora e supervisora de curadorias de germoplasma (material genético) da Embrapa, Rosa Lía Barbieri, representará o Brasil e acompanhará o depósito das 11 caixas que contêm as amostras.

A Embrapa selecionou 3.037 acessos de arroz, 87 de milho, 119 de cebola, 132 de pimentas Capsicum e de 63 Cucurbitáceas (abóboras, morangas, melão, pepino, maxixe, quino e melancia), que serão mantidas a uma temperatura entre 18 graus Celsius (°C) negativos e  20°C negativos. Acessos são amostras de sementes representativas de diferentes populações de uma mesma espécie.

“Elas representam um pouco da diversidade da agricultura brasileira. É um pedacinho da Embrapa que está lá resguardado e é uma forma de garantir que esse material vai estar disponível para população”, disse Rosa, em entrevista à Agência Brasil.

Guerra

Recentemente, o cofre precisou ser aberto devido à guerra na Síria. Antes, um banco sírio de sementes de Alepo, na Síria, funcionava como centro de troca e distribuição de espécies entre nações do Oriente Médio. Com o conflito, a instituição passou a não dar conta de abastecer a região, então, um grupo de pesquisadores recorreu ao Banco de Sementes de Svalbard, pedindo algumas amostras que originassem trigo, centeio e gramíneas, que estavam em falta para alimentar as plantações. Foi a primeira vez que o cofre precisou ser aberto.

* Com informaçoes da Agência Brasil

As sementes brasileiras devem chegar ao cofre no dia 25 de fevereiro

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.