Kátia Abreu lidera gastos de campanha e Amastha deixa dívida de quase R$ 1 milhão

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação/Fernando Almeida
Kátia Abreu (PDT) e Carlos Amastha (PSB)

Derrotado no 1º turno da eleição suplementar ao Governo do Tocantins, o ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB) declarou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que gastou R$ 2,4 milhões em sua campanha, mas deixou uma dívida de R$ 887,9 mil – a maior entre os cinco candidatos que já prestaram contas.

Os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR) vão prestar contas após o 2º turno.

O levantamento foi feito pelo Jornal do Tocantins. Segundo a reportagem, os cinco candidatos ao governo do Estado que não foram para o segundo turno gastaram R$ 6,9 milhões: São eles: Carlos Amastha, Kátia, Márlon Reis, Marcos Souza e Mário Lúcio Avelar.

Kátia Abreu

Kátia Abreu (PDT) lidera em despesas e declarou à Justiça Eleitoral que arrecadou R$ 3,984 milhões, gastou R$ 4,18 milhões, pagou R$ 3,78 milhões e ficou com uma dívida de R$ 400 mil.

A maior doação foi do seu candidato a vice, Marco Antônio Costa (PSD), que doou R$ 2,37 milhões, mais de 50% do recurso total arrecadado.

Por meio de nota, Kátia Abreu explicou que o montante será pago pelo PDT Nacional com recursos do Fundo Partidário. Sobre o fato de ter sido a candidata que mais gastou na campanha, Kátia frisou: “não sei se fui a que mais gastei ou se fui a mais transparente”.

Carlos Amastha

Conforme o levantamento do JTO, Amastha (PSB) está em segundo lugar nos gastos na campanha para governador, com R$ 2,4 milhões. A menor despesa registrada foi a do candidato Marcos Souza (PRTB), com apenas R$ 12 mil.

Nas prestações de contas ainda há uma dívida de campanha de R$ 1,452 milhão, referente a três candidatos. Amastha usou R$ 612,8 mil de recursos próprios, mas a maior doação recebida foi do seu partido, no valor de R$ 900 mil.

Segundo a reportagem, Amastha registrou o segundo maior gasto, porém declarou a maior dívida de campanha, R$ 887,9 mil. O candidato arrecadou R$ 1,599 milhão, mas gastou R$ 2,403 milhões, sendo que pagou desse montante R$ 1,515 milhão.

Ainda falta essa transferência de recurso por parte do PSB, pois o recurso do Fundo Partidário não foi liberado integralmente. E a legislação permite que seja feito o pagamento nos próximos dias e é o que faremos”, disse Amastha sobre o caso.

Demais candidatos

A reportagem citou que outro candidato que também declarou dívida de campanha foi Márlon Reis, no valor de R$ 164,6 mil. Conforme sua prestação de contas, ele arrecadou R$ 141,3 mil, mas gastou R$ 248,7 mil, sendo que desse valor pagou R$ 84 mil.

A assessoria do candidato explicou que a direção nacional do seu partido, o Rede Sustentabilidade, irá pagar a dívida nos próximos dias e que os prestadores de serviço já foram avisados sobre o pagamento.

Ainda conforme o JTO, os candidatos Mário Lúcio Avelar (Psol) e Marcos Souza (PRTB) não contabilizaram dívida de campanha. Os dois tiveram os menores gastos: Marcos Souza com R$ 12 mil e Mário Lúcio com R$ 101,6 mil.

O candidato do PSOL bancou os gastos da própria campanha. Já o do PRTB colocou recurso próprio e contou com a doação dos três filhos, num total de R$ 8 mil.

Com informações do Araguaína Notícias.

Comentários pelo Facebook: