Seet
Sobral – 300×100

Porto Nacional registra seis homicídios e sete tentativas em pouco mais de 10 dias

Agnaldo Araujo - |
Foto: IPHAN
Vista aérea da cidade de Porto Nacional

Agnaldo Araujo//AF Notícias

A cidade de Porto Nacional está vivendo uma onda de violência entre o final de 2017 e início de 2018. Seis pessoas já foram mortas e houve outras sete tentativas em pouco mais de 10 dias. Uma das vítimas fatais foi o policial militar Rubim Monteiro Lopes, de 33 anos. Porto Nacional tem cerca de 50 mil habitantes.

Na madrugada desta terça-feira (12), quatro jovens foram esfaqueados e baleados na cidade. Eles estavam num barraco localizado no Setor Parque da Liberdade. Alfredo Eduardo Ferreira Neto, de 20 anos, foi esfaqueado nas costas e atingido por dois tiros no tórax. Reginaldo Barbosa dos Santos, de 24 anos, foi atingido por dois disparos na cabeça, mas segundo um médico local, sem gravidade.

Ailton Barbosa dos Santos, de 27 anos, foi atingido com golpes de faca no braço e baleado no punho. Um menor de idade foi baleado na cabeça e esfaqueado no tórax. Os quatro foram encaminhados ao Hospital Geral de Palmas e o estado de saúde deles era estável, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

O delegado de homicídios de Porto Nacional, Wagner Rayelly Siqueira, informou que o aumento da violência na cidade pode estrar ligado à disputa por território entre grupos criminosos. “São facções que vieram do Sudeste [região Sudeste do Brasil] e que agora estão tentando se estabelecer aqui e disputam o controle do tráfico de drogas na cidade”, disse.

O INÍCIO

A onda de violência iniciou com a morte do policial militar Rubim Monteiro Lopes, no dia 22 de dezembro, numa emboscada na rua de sua casa. O PM baleou um suspeito antes de morrer e Daniel Ferreira de Souza foi retirado da ambulância, na TO-050, por homens encapuzados e executado a tiros. Ele estava sendo encaminhado para receber atendimento médico em Palmas.

No dia 25 de dezembro, três pessoas foram mortas a tiros e duas ficaram feridas no Setor Tropical Palmas. As vítimas estavam sentadas na porta de uma residência quando foram surpreendidas por dois homens encapuzados.

Pedro Oliveira Filho, de 47 anos, e o sobrinho dele, Douglas Alexandre Costa de Oliveira, de 22 anos, morreram. A outra vítima fatal foi Danilo Batista Rodrigues, de 16 anos. Ana Caroline Passos dos Reis e Idomar Linhares Diógenes, ambos de 18 anos, foram atingidos e encaminhados ao hospital.

Já no dia 31 de dezembro, o autônomo Juarez Rosendo dos Santos, de 38 anos, foi encontrado morto na sua própria residência por um vizinho. Ele levou quatro facadas.

E há algumas horas antes da virada de ano, um adolescente de 15 anos tentou matar um jovem de 18 anos na cidade. A Prefeitura chegou a pedir reforço na segurança para as festas de final de ano.

Com informações – G1 TO.

Comentários pelo Facebook: