Professor Plínio Sabino Sélis está com novo livro na praça: ‘Gurupi em prosa e versos’

Redação AF -
Foto: Divulgação
Professor Plínio Sabino Sélis está com novo livro na praça

Zacarias Martins

Residente em Gurupi, no sul do Estado do Tocantins, o escritor e professor tocantinense Plínio Sabino Sélis, está com novo livro na praça.  Desta feita trata-se de ‘Gurupi em prosa e versos: breves recortes’, publicado pela Editora Veloso.

De acordo com o autor, o que lhe levou a escrever esse livro foram as controvérsias sobre o nome ‘Gurupi’, ressaltando que pesquisando a fundo sobre o real significado dessa palavra, descobriu que para entendê-la melhor seria preciso aportes de estudiosos sobre a evolução das regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil, e dos estados de Goiás e Tocantins para, finalmente, chegar ao município de Gurupi.

O autor faz ainda questão de destacar que seu objetivo com essa obra é o de fornecer informações de fontes seguras sobre as mencionadas regiões e lugares. E, a partir daí, do conhecimento de suas histórias e geografias, entender por que se opta pelo nome Gurupi.

“Em nossa obra, destacamos as ideias de três personagens: a de um historiador, a de um romancista, e a de uma linguista, que se enveredam pelos caminhos da toponímia”, explicou o professor Plínio.

Sobre o autor

Plinio Sabino Sélis é Pós-Doutorando em Psicologia pela Universidad John Kennedy, na Argentina; Doutor em Ciências da Educação, pela Universidad Evangélica del Paraguay, além de Mestre em Educação, pela Universidade do Oeste Paulista e Especialista em Avaliação Institucional pela Universidade de Brasília, dentre outras especializações. É professor efetivo da Universidade Federal do Tocantins (UFT),  e do Centro Universitário Unirg.  Integra os quadros de Membro Efetiv o da Academia Gurupiense de Letras (AGL).

No ano passado publicou o livro “ACUSO, mas DEFENDO” (Ed. Veloso), em parceria com o professor universitário e causídico Ubiratã Silvestre Pereira, coadjuvado por três eméritos juristas, os professores Manoel Bonfim Furtado Correia (in memoriam), Plínio Pinto Teixeira (in memoriam), e Sady Antonio Boessio Pigatto.

Comentários pelo Facebook: