Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Dinheiro público

Eduardo Gomes, Kátia Abreu e Irajá têm 140 assessores ao custo de R$ 1,58 milhão por mês

O custo mensal com assessores do Senado é de mais de R$ 32 milhões.

Por Arnaldo Filho 4.537
Comentários (0)

20/11/2019 08h44 - Atualizado há 2 meses
Três senadores do Tocantins

O Brasil possui o segundo Congresso Nacional mais caro do mundo, perdendo apenas para o EUA. As informações são da União Interparlamentar, organização internacional que estuda os legislativos de diferentes países. Cada um dos 513 deputados brasileiros e dos 81 senadores custa mais de US$ 7 milhões por ano - seis vezes mais que um parlamentar francês, por exemplo.

Segundo levantamento do Ranking dos Políticos, o custo mensal com assessores do Senado é de mais de R$ 32 milhões. O estudo foi feito baseado na folha de pagamento de setembro e outubro de 2019 e corresponde à soma dos benefícios de 3.017 servidores – efetivos e comissionados – lotados nos gabinetes dos 81 senadores em Brasília e nos escritórios de seus respectivos estados. Todas as informações são públicas e disponíveis no Senado Federal.

Os cargos são variados: chefe de gabinete, subchefe de gabinete, assessor parlamentar, assistente parlamentar (júnior, sênior e pleno), assessor legislativo, assistente técnico e assessoramento legislativo, ajudante parlamentar (júnior, intermediário e pleno) e motorista.

Os três senadores do Tocantins, Eduardo Gomes (MDB), Kátia Abreu (PDT) e Irajá Abreu (PSD), têm 140 assessores. O custo mensal com salários é de R$ 1.585.753,04.

A maior média salarial está no gabinete de Irajá, R$ 15.141,14. O maior número de assessores pertence a Eduardo Gomes, 59 no total, atual líder do Governo Bolsonaro no Congresso. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.