Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Quem diria?

Quando prefeito, Amastha ignorou greve de fome dos professores e se recusou a recebê-los

Agora, na condição de ex-prefeito, Amastha usa o mesmo protesto para ser recebido.

Por Arnaldo Filho 827
Comentários (0)

27/07/2020 12h49 - Atualizado há 1 semana
Professores fizeram greve de fome, mas não foram recebidos por Amastha em 2017

Quem diria que o ex-prefeito Carlos Amastha (PSB) se acorrentaria e faria greve de fome para ser recebido pelo Superintendente da Controladoria Geral da União (CGU) no Tocantins. Uma grande ironia do destino que só reforça o ditado popular de que “o mundo dá voltas”!

Em 2017, os professores da rede municipal de Palmas fizeram greve de fome para serem recebidos pelo então prefeito Amastha. Os educadores acamparam na sede da Câmara de Vereadores e um grupo passou vários dias em greve de fome, mas o prefeito não se sensibilizou nenhum pouco e se recusou a recebê-los para dialogar.

Na época, Amastha foi implacável com a categoria, afirmou categoricamente que não dialogava com grevistas e mandou cortar o ponto dos professores. Ele simplesmente ignorou o protesto. 

Se o superintendente da GCU tivesse o mesmo nível de insensibilidade de Amastha, o que já demonstrou não ter, a greve de fome ex-prefeito seria em vão, tal como a dos professores.  

+ Acorrentado na porta da CGU, Amastha inicia greve de fome por causa de operação da PF

Amastha agora faz greve de fome

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.