Arnaldo Filho

Blog AF

redacao@afnoticias.com.br

Bastidores

Voto de Kátia pró-reforma da previdência pode respingar no comando do PDT no Tocantins

O partido suspendeu os deputados federais que votaram favoráveis à reforma.

Por Arnaldo Filho 746
Comentários (0)

02/10/2019 16h40 - Atualizado há 1 semana
Kátia Abreu e Carlos Lupi, presidente nacional do PDT

O voto favorável de Kátia Abreu à reforma da previdência proposta pelo Governo Bolsonaro pode gerar burburinhos quanto ao comando do PDT no Tocantins, partido presidido atualmente pela senadora.

Isso porque a legenda comandada pelo ex-ministro de Lula e Dilma, Carlos Lupi, fechou questão de ordem encaminhando voto contrário à reforma.  

O PDT tem quatro senadores no Brasil, destes, apenas Kátia Abreu votou 'sim' à reforma de Bolsonaro.

Por ocasião da votação da reforma na Câmara dos Deputados, no final de julho, os oito parlamentares que contrariaram a determinação partidária sofreram punição imediata: abertura de processo disciplinar e suspensão das atividades partidárias, a exemplo da deputada federal Tabata Amaral (SP).

Na época, o presidente do PDT afirmou que a suspensão significa que os parlamentares não poderão representar o partido nas direções estaduais e nacional, no Congresso, e também não poderão usar a legenda do PDT. 

Umas das punições possíveis para este caso é a expulsão do partido, mas os parlamentares também podem sofrer sanções mais brandas, como uma advertência.

Segundo o estatuto do PDT, a pena de expulsão pode ser aplicada a filiados no caso de desrespeito à legítima deliberação ou diretriz adotada pelo partido.

Um pedetista histórico do Tocantins questionou se a Executiva Nacional vai adotar o mesmo posicionamento em relação à senadora Kátia Abreu. “O partido foi muito enfático quanto à traição dos deputados, veremos se terá a mesma coragem em relação à senadora”, finalizou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.