'Perdi o controle'

Prefeito que atirou na casa de vereador diz que se arrependeu e jogou arma dentro de córrego

A confusão teve inicio após uma discussão entre os políticos via WhatsApp.

Por Nielcem Fernandes 1.333
Comentários (0)

12/04/2019 10h45 - Atualizado há 3 anos
Prefeito Ronaldo Parente

“Todo mundo tem um limite”, disse o prefeito de São Bento do Tocantins, Ronaldo Parente (PSDB), em entrevista à TV Anhanguera após confessar ter atirado contra a casa do vereador Adelsim Araújo (PP) em depoimento à Polícia Civil nesta quinta-feira (11).

A casa do vereador foi atingida com cerca de 10 disparos na noite da última terça-feira (9). No momento da ação, estavam na residência duas crianças, de 3 e 7 anos, filhos do parlamentar, uma sobrinha de 22 anos e a sogra de 58 anos. Ninguém se feriu.

A confusão teve inicio após uma discussão entre os políticos via WhatsApp. O prefeito disse que se arrependeu da atitude. “Arrependo. Se tivesse oportunidade, voltaria atrás. Não estou aqui querendo justificar, dizer que estou certo. Infelizmente eu perdi o controle porque sou muito calmo, todo mundo me conhece, mas infelizmente todo mundo tem um limite", afirmou o prefeito durante a entrevista.

O atentado repercutiu no meio político e deputados estaduais divergiram sobre a atitude do gestor. Durante a sessão de quarta-feira (10) no plenário da Assembleia Legislativa, o deputado Fabion Gomes (PR) condenou a atitude do prefeito. “Para mim é um absurdo que a maior autoridade da cidade não suporte críticas, principalmente de vereador, que também é autoridade”, disse.

Já o deputado Amélio Cayres (SD) defendeu o autor do atentado. O deputado estadual chegou a chamar o vereador de ‘covarde’ e destacou que situações como essa “podem ocorrer com qualquer um de nós”.

“Venho repugnar o momento, mas entrar em defesa do meu prefeito, que é um cara honrado, um cara honesto. Houve esse erro que qualquer um de nós pode fazer em um estado emocional. Pode acontecer com qualquer um de nós. Quem ouviu o áudio viu que o vereador provocou e convidou o prefeito para o acerto. O cara é tão covarde que combinou e fugiu de casa. Deixou a família exposta. Quem é homem defende a família”, disse.  

Durante a discussão, a deputada estadual Amália Santana (PT) se posicionou contrária à atitude do prefeito. “Não tem que esperar acontecer o pior não. As autoridades precisam ir lá e recolher a arma, porque (o prefeito) já mostrou que não tem emocional, antes que ocorra algo mais grave”, disse.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso. O prefeito prestou depoimento na manhã desta quinta-feira (11) e foi liberado para responder em liberdade.

Parente afirma que a arma é registrada e resolveu se desfazer da pistola após atirar na casa do vereador, jogando-a dentro de um córrego da região.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.