MPTO

Serial killer que matou três homens e baleou outro em Araguaína é denunciado à Justiça

O criminoso teria cometido outros três assassinatos, sendo dois em Araguaína e outro no Maranhão.

Por Redação 2.508
Comentários (0)

23/11/2021 15h15 - Atualizado há 1 semana
Renan Barros da Silva tem 22 anos e é apontado como um serial killer

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) ofereceu, nesta segunda-feira (22/11), denúncia contra Renan Barros da Silva, apontado como autor de três assassinatos consumados, de uma tentativa de homicídio e ocultação de cadáver, no município de Araguaína, região norte do estado, em maio deste ano. 

Renan Barros foi apontado pela polícia como um serial killer, no mês de outubro deste ano. Isto porque além desse triplo homicídio, ele teria cometido outros três assassinatos, sendo mais dois em Araguaína e outro no Maranhão. Renan foi capturado em Rondon (PA) e transferido para São Luís (MA).

VÍTIMAS ALEATÓRIAS

Os crimes em Araguaína aconteceram na madrugada de 27 de maio deste ano. Segundo o apurado, as ações começaram por volta de 1h30. A primeira vítima conduzia uma motocicleta, na Avenida Filadélfia, quando foi surpreendida pelos disparos. Francisco Regis Freitas Gonçalves foi atingido na cabeça e foi a óbito imediatamente.

As duas outras vítimas fatais foram Manoel Cassiano de Oliveira e Simião Neto Pereira, 40 minutos após o primeiro crime. Eles teriam caído da motocicleta na qual transitavam, após os disparos, e em seguida foram feridos com objeto cortante, na região da cabeça.

Às 3h, o autor ainda atentou contra a vida de Ivan Lima França, que conseguiu fugir do local e teve a ajuda da Polícia Militar.

Consta, na denúncia, que no local mencionado, durante o intervalo das execuções citadas, o denunciado ocultou os cadáveres das vítimas.

VEJA MAIS 

Na denúncia, o MPTO imputa as qualificadoras de motivo torpe, perigo comum, emboscada e uso de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas. Conforme o promotor de Justiça Guilherme Cintra Deleuse, o denunciado “não conhecia nenhuma das vítimas e as escolheu aleatoriamente à medida que passavam pelo local”.

PRAZER DE MATAR

Na avaliação do promotor de Justiça, o denunciado praticou os crimes por puro prazer repugnante de matar, demonstrando ser uma pessoa sádica. A prática gerou perigo comum, uma vez que todos os disparos foram dados em via pública, de fácil acesso e com movimentação de pessoas.

“Ficou comprovado que o denunciado fazia tocaia em um matagal, estando ele à espreita; e [agiu] por meio de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas, oportunidade em que se colocava à frente das vítimas com a arma empunhada”, explicou que acredita se tratar de um serial Killer, pois já responde a outros crimes de homicídio no Maranhão.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.